Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 67 Número 2




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Perfil epidemiológico da leishmaniose tegumentar no Brasil

Epidemiological profile of cutaneous and mucocutaneous leishmaniasis in Brazil


ALMÉRIO DE CASTRO GOMES1

1Professor Associado da Faculdade de Saúde Pública/USP

Correspondência:
Almério de Castro Gomes Av. Dr. Arnaldo, 715 01255 - São Paulo - SP

 

Resumo

A discussão sobre o perfil epidemiológico da leishmaniose tegumentar no Brasil levou em conta as notificações de casos humanos, raio de dispersão dos agentes etiológicos e sinantropia de populações silvestres. Foi analisado o resultado de 105.988 casos nos últimos dez anos e a persistência de focos ativos em matas remanescentes. O crescimento anual da incidência na região Norte a tornou mais problemática no Brasil. Destacou-se também o crescente intercâmbio de populações que sobreviveram em matas residuais com as do ambiente domiciliar. Nesta situação _L. intermedia_ e _L. braziliensis_ mostraram variado grau de adaptação ao último ambiente. O processo sinantrópico em desenvolvimento para ambas espécies e seus reflexos nas mudanças de padrão epidemiológico da doença sugerem clara evolução da leishmaniose tegumentar. Portanto, permanecerá tendência para aumento das infecções humanas em ambiente extra-florestal no Brasil. O risco de contraí-la é igual para todos os indivíduos independentemente da idade e sexo.

Palavras-chave: LEISHMANIOSE TEGUMENTAR, PERFIL EPIDEMIOLÓGICO

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações