Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

39

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

39

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 58 Número 6




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Pitiríase versicolor - I. Estudo epidemiológico em voluntários da Universidade Federal de Mato Grosso (Brasil)

PITYRIASIS VERSICOLOR - I. EPIDEMIOLOGICAL STUDY IN VOLUNTEERS FROM THE FEDERAL UNIVERSITY OF MATO GROSSO (BRASIL)


MARLY H.H. FORJAZ1, EDUARDO DE LAMONICA FREIRE2, MAURÍCIO PINHO GAMA3, OLGA FISCHMAN4, ERMELINDA M. DE-LAMONICA-FREIRE5

1Pesquisador do Ministério das Minas e Energia/DF
2Professor-Adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso/MT
3Professor-Adjunto da Universidade de Brasilia/DF
4Professor-Adjunto da Escola Paulista de Medicina/SP, Pesquisador do CNPq
5Professor-Assistente da Universidade Federal de Mato Grosso/MT

Trabalho realizado no Departamento de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (Mato Grosso - Brasil), com o auxílio financeiro da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso (FUFMT). Forjaz MHH, Freire EL, Gama MP, Fischman O & De-Lamoica-Freire EM - Pitiríase versicolor. I. Estudo epidemiológico em voluntários da Universidade Federal de Mato Grosso (Brasil).

Correspondência:
Olga Fischman Gompertz Escola Paulista de Medicina Rua Botucatu, 862, 3º andar 04203 - São Paulo - SP

 

Resumo

Inquérito realizado em 150 voluntários da Universidade Federal de Mato Grosso, no período de outubro/79 a junho/80, demonstrou pitiríase versicolor em aproximadamente 39% dos indivíduos, confirmada por exame microscópico de escamas de pele glabra e/ou de couro cabeludo. A relação entre couro cabeludo seborréico e pitiríase "capitis" foi confirmada estatisticamente (p=0,02. Teste X-quadrado). A localização das lesões e suas características morfológicas são comentadas. Fatores relacionados com a predisposição do hospedeiro e a biologia do agente, associados ao clima, estabeleceriam um triângulo de correlações contribuindo para o desenvolvimento de pitiríase versicolor em determinada região.

Palavras-chave: MALASSEZIA FURFUR, MICOSE SUPERFICIAL, PITIRÍASE DE COURO CABELUDO, PITIRÍASE DE PELE GLABRA, PITIRÍASE VERSICOLOR

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações