Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

39

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

39

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 58 Número 1




Voltar ao sumário

 

Artigos originais

Estudo micológico e clínico de 102 casos de onicopatias

MYCOLOGICAL AND CLINICAL STUDIES IN 102 PATIENTS WITH ABNORMAL NAILS


EUNICE DE CASTRO SOARES1, OLGA FISCHMAN2, GERCYR BAPTISTA3, LUIZ FLÁVIO LOBEL4

1Professor-Assistente da Universidade Federal Fluminense-RJ
2Professor-Adjunto da Escola Paulista de Medicina-SP - Pesquisador do CNPq
3Professor-Assistente da Universidade Federal do Espírito Santo-ES
4Estagiário da Disciplina de Micologia da Escola Paulista de Medicina-SP

*Trabalho realizado na Disciplina de Micologia do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da Escola Paulista de Medicina (São Paulo-Brasil), com o auxílio financeiro do CNPq e CAPES. Parte da Tese de Soares EC, para obtenção do grau de Mestre.*

Correspondência:
Olga Fischman Gompertz Escola Paulista de Medicina Rua Botucatu, 862 - 30 andar 04023 - São Paulo-SP – Brasil

 

Resumo

São apresentados os resultados do estudo clínico e micológico realizado em 102 pacientes com onicopatias. Maior freqüência foi verificada em adultos do sexo feminino. Candidíase foi diagnosticada em 19 pacientes. _C. albicans_ (13) e _C. guilliermondii_ (1) foram as leveduras identificadas. A micose foi mais comum em mulheres de afazeres domésticos que tinham o hábito de molhar as mãos. Tricofitose foi reconhecida em 29 pacientes. _T. rubrum_ (11), _T. mentagrophytes_ (1) e _T. tonsurans_ (1) foram as espécies isoladas. Traumatismo provocado por sapatos e o uso de meias, fabricadas em fibras sintéticas, podem favorecer o desenvolvimento dos fungos e explicar a maior incidência de dermatófitos em unhas dos pés. As preparações microscópicas diretas revelaram maior positividade do que os cultivos. Na opinião dos autores, a ceratose subungueal não deve ser sempre interpretada como infecção por fungos filamentosos. Em nossa pesquisa, nenhum agente fúngico foi identificado, em 54 dos 83 casos nos quais ,os pacientes apresentavam esse sinal clínico, apesar da repetição aos exames laboratoriais, por uma dezena de vezes.

Palavras-chave: DERMATÓFITOS*, LEVEDURAS, ONICOPATIAS, CERATOSE SUBUNGUEAL, BACTERIOLOGIA, TRICOMICOSE AXILAR, DIFTERÓIDES, ERITRASMA, DERMATOPATIAS, PIGMENTAÇÃO DA PELE, GRUPOS ÉTNICOS, GRUPOS DE POPULAÇÕES CONTINENTAIS

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações