Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 78 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Freqüência de dermatoses infecciosas em 208 pacientes transplantados renais

Frequency of infectious dermatosis in 208 renal transplant recipients


GÉRSON VETTORATO1, ANDRÉ VICENTE ESTEVES DE CARVALHO2, SERGIO ALEJANDRO MARTINEZ LECOMPTE3, ELISA GOBBATO TREZ3, VALTER DURO GARCIA4, ELIZETE KEITEL5

1Médico Dermatologista responsável pelo Setor de Micologia do Serviço de Dermatologia da UFRGS. Complexo Hospitalar Santa Casa. Porto Alegre - RS, Brasil.
2Médico Dermatologista. Ex-residente do Serviço de Dermatologia da UFRGS. Complexo Hospitalar Santa Casa. Porto Alegre - RS, Brasil.
3Residente do Serviço de Dermatologia da UFRGS. Complexo Hospitalar Santa Casa. Porto Alegre - RS, Brasil.
4Médico Nefrologista. Chefe do Serviço de Transplante Renal. Complexo Hospitalar Santa Casa. Porto Alegre - RS, Brasil.
5Médica Nefrologista. Serviço de Transplante Renal. Complexo Hospitalar Santa Casa. Porto Alegre - RS, Brasil.

Recebido em 02.01.2002. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 14.08.2002. Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia da UFRGS e Serviço de Transplante Renal. Complexo Hospitalar Santa Casa. Porto Alegre - RS, Brasil.

Correspondência:
André Vicente Esteves de Carvalho Av. Guaíba, 4680 casa 07 Vila Assunção Porto Alegre RS 91900-420 Tel/Fax: (51) 3286-5150 "E-mail":avec@plugin.com.br

 

Resumo

*Fundamentos:* Nos pacientes transplantados renais, a imunossupressão crônica acarreta maior suscetibilidade às dermatoses infecciosas. *Objetivos:* avaliar a freqüência de dermatoses infecciosas em 208 pacientes transplantados renais no período de 12 meses e verificar a relação entre sua ocorrência e o período de tempo transcorrido desde o transplante. *Método:* 208 transplantados renais de uma população de 720 pacientes foram submetidos a exame dermatológico no período de um ano, tendo sido realizados exames anatomopatológico micológico, bacteriológico e/ou cultural das lesões suspeitas. *Resultados:* a freqüência de dermatoses infecciosas nessa população foi de 89,4%. As infecções fúngicas, virais, bacterianas e parasitárias mais freqüentes foram pitiríase versicolor (17,8%), verruga vulgar (32,2%), foliculite (4,3%) e escabiose (3,8%). *Conclusão:* as dermatoses infecciosas são freqüentes nos pacientes transplantados renais, e sua ocorrência aumenta progressivamente conforme o tempo transcorrido a partir do transplante, sendo importante o acompanhamento dermatológico desses pacientes.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações