Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

12

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

12

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 29 Número 2




Voltar ao sumário

 

Trabalhos originais

Manifestações palmo-plantares da framboésia trópica (bouba), observadas no Nordeste de Minas Gerais


TANCREDO ALVES FURTADO1, ANTÔNIO FIRMATO DE ALMEIDA2

1Assistente da Clínica Dermatológica da Faculdade de Medicina da Univ. de Minas Gerais (Catedrático: Prof. Olinto Orsini) e da Santa Casa de Belo Horizonte (Serviço do Prof. Josefino Aleixo). Fellow do Squibb Institute for Medical Research, de New York.
2Chefe do Pôsto de Higiene de Itambacuri, Minas Gerais. Sanitarista da Secretaria de Saúde e Assistência, do Estado.

*Trabalho apresentado ao 1º Congresso Médico do Nordeste MIneiro, realizado em Téofilo Otoni, de 1 a 7 de setembro de 1953.*

Correspondência:
rua Alvarenga Peixoto, 986 (Belo Horizonte)

 

Resumo

Os autores fazem uma revisão dos diversos tipos de manifestações palmares e plantares observadas na fromboésia trópica (bouba). Para a sua classificação em um dos períodos da afecção, recorreram a dois elementos: 1.º) coexistência com lesões típicas de um determinado período; 2.º) tempo de aparecimento em relação ao framboesoma inicial. Em 5.385 casos, registrados em um período de 11 anos, no Município de Itambacuri (Nordeste de Minas Gerais), a incidência das manifestações palmares e plantares foi de 14 % na bouba recente e de 45,2 % na bouba tardia. Os “cravos plantares” foram mais freqüentes na bouba recente (49,4 %). No período tardio, os “cravos plantares” e a queratose plantar ocorreram em igual proporção (27,8 % e 27,4 %, respectivamente). As manifestações palmares são mais de dez vêzes menos freqüentes do que as manifestações plantares.

© 2021 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações