Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 29 Número 3




Voltar ao sumário

 

Trabalhos originais

Sarcoidose de Boeck-Schaumann - Um caso desta síndrome, com determinações cutâneas, ósseas, gânglios mediastinais, e comprovação cultural de tuberculose


EDSON A. DE ALMEIDA1

1Chefe de Clínica do Serviço de Dermatologia e Sifilografia do Hospital dos Servidores do Estado, Rio de Janeiro (Chefe do Serviço: Dr. Mário Rutowitsch).

Trabalho apresentado à I Assembléia Médica do Hospital dos Servidores do Estado.

Correspondência:
Rua Diógenes Sampaio, 18, apto. 202 (Rio).

 

Resumo

O autor relata um caso de sarcoidose generalizada em uma paciente melanodérmica, de 36 anos de idade. Foram observadas lesões cutâneas com características do "lupóide miliar de Boeck", localizadas na face, e lesões tuberosas de aspecto psoriasiforme, situadas nas superficies de extensão dos antebraços. As lesões tegumentares estavam dispostas de maneira simétrica. Os exames radiológicos realizados revelaram: aumento de volume dos gãnglios hilares e para-traqueais; áreas de rarefação óssea nas falanges proximal e média do dedo mínimo esquerdo e do condito externo do fémur esquerdo (osteite cistóide de Jungling). A paciente não apresentava sinais clínicos e/ou radiológicos de tuberculose evolutiva. O exame histopatológico das lesões cutâneas e do gânglio inguinal mostrou um quadro tecidual compatível com o diagnóstico do morbo Boeck, caracterizado pela presença de nódulos de células epitelióides, células gigantes de corpo estranho, sem evidência de necrose. A inoculação, em cobaio, de macerado de gânglio sólido (inguinal), resultou negativa para batido tuberculoso; entretanto, o mesmo material, semeado em meio de Loewenstein, forneceu resultado positivo ao cabo de 30 dias. A suspensão da cultura, inoculada em cobaio, determinou lesões específicas de tuberculose experimental, tendo sido identificado bacilo tuberculoso, provavelmente do tipo humano. Foi instituído pelo autor, à guiza de experimentação, o tratamento pela hidrazida do ácido izonicotínico, tendo esta medicação determinado a regressão completa das lesões cutâneas. As alterações ósseas e mediastínicas não foram beneficiadas com a terapêutica ensaiada.

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações