Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 78 Número 4




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Hamartoma angiomatoso écrino: um tumor doloroso

Eccrine Angiomatous Hamartoma: a Painful Tumor


MICHELLE LARISSA ZINI LISE1, CRISTIANA DOURADO PONTUAL1, CÍNTIA DINIZ1, RODRIGO BRAGANÇA FONSECA1, ADA LOBATO QUATTRINO2, MAYRA CARRIJO ROCHAEL3

1Médico pós-graduando em dermatologia da Universidade Federal Fluminense.
2Médica dermatologista, professora adjunta de Dermatologia da Universidade Federal Fluminense.
3Médica patologista, professora adjunta de Patologia da Universidade Federal Fluminense.

Recebido em 16.07.2002. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 11.02.2003. Trabalho realizado na Universidade Federal Fluminense.

Correspondência:
Michelle Larissa Zini Lise Av. Protásio Alves, 3563-13 Porto Alegre RS 90410-003 Tel.: (51) 3334-7740 "E-mail":michelle.zinilise@zipmail.com.br

 

Resumo

O hamartoma angiomatoso écrino (HAE) é lesão benigna, em geral, congênita. Apresenta-se na maioria dos casos como nódulo ou placa cor da pele ou eritematosa associada ou não à hiperidrose focal e dor. Localiza-se preferencialmente nos membros inferiores, próximo aos joelhos ou nos artelhos, mas lesões na face, região cervical, sacra e tronco foram descritas. O principal diagnóstico diferencial deve ser feito com o tumor glômico. Em geral, o HAE tem evolução benigna, havendo relatos de remissão espontânea da dor, sem necessidade de remoção. Contudo, foram descritos casos em que a dor levou à exérese da lesão e mesmo à amputação do membro afetado. Os autores relatam um caso de hamartoma angiomatoso écrino de aparecimento tardio, com sintomatologia exuberante e de difícil tratamento.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações