Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

8

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

8

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 83 Número 2




Voltar ao sumário

 

Investigação

Influência do tempo e do meio de transporte no isolamento de fungos patogênicos de biópsias de pele

Effects of time delay and transportation on isolation of pathogenic fungi from skin biopsies


RAFAEL TAGLIALEGNA1, CILENE MARIA PELÚCIO LOPES2, JOÃO EVANGELISTA FIORINI3, CLÁUDIA MARIA LEITE MAFFEI4

1Professor de Dermatologia da Universidade de Alfenas – Alfenas (MG); doutorando do Departamento de Biologia Celular, Molecular e Bioagentes Patogênicos da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP) – Ribeirão Preto (SP), Brasil.
2Professora doutora de Dermatologia da Universidade de Alfenas – Alfenas (MG), Brasil.
3Professor doutor de Microbiologia da Universidade de Alfenas – Alfenas (MG), Brasil.
4Professora Doutora, chefe do Laboratório de Micologia Médica do Departamento de Biologia Celular, Molecular e Bioagentes Patogênicos da Faculdade de Medicina da (USP) – Ribeirão Preto (SP), Brasil.

Recebido em 16.11.2006. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 13.08.2008. * Trabalho desenvolvido no Hospital Universitário Alzira Velano da Universidade de Alfenas – Alfenas (MG), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum / Conflict of interest: None Suporte financeiro: Nenhum / Financial funding: None Como citar este artigo / How to cite this article: Taglialegna R, Lopes CMP, Fiorini JE, Maffei CML. Influência do tempo e do meio de transporte no isolamento de fungos patogênicos de biópsias de pele. An Bras Dermatol. 2008;83(2):131-5.

Correspondência:
Rafael Taglialegna Rua Paula Dias, 44 37120-000 - Paraguaçu - MG Tel./Fax: (35) 32671680 (35) 32671680 "E-mail":rafaeltaglialegna@bandasul.com.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Não está definido como o meio de transporte e o intervalo de tempo até o processamento final interferem no isolamento de fungos patogênicos em material obtido de biópsias de pele. OBJETIVOS - Determinar o efeito da inoculação tardia de biópsias de pele, transportadas em diferentes meios líquidos, na taxa de isolamento de fungos patogênicos. MÉTODOS - De 47 pacientes com lesões cutâneas suspeitas de micoses invasivas obtiveram-se 278 biópsias das lesões. Cada biópsia foi transportada em frascos com caldo Sabouraud com cloranfenicol ou solução salina de cloreto de sódio e inoculada em ágar Sabouraud após 48-72 horas (precoce) ou após 72 horas até sete dias (tardio), constituindo-se quatro grupos de estudo. RESULTADOS - As medianas das taxas de isolamento dos quatro grupos de esporotricose foram 100% e de paracoccidioidomicose foram 84% e 50% nos grupos precoces/solução salina ou caldo Sabouraud e 64% e 84% nos grupos tardios/solução salina ou caldo Sabouraud, respectivamente (p=0,88). Baixas taxas de contaminação resultaram em especificidade diagnóstica de 82% para doenças não fúngicas. CONCLUSÕES - Biópsias de pele podem ser transportadas em caldo Sabouraud ou solução salina por períodos de até sete dias, à temperatura ambiente, sem afetar a viabilidade dos fungos.

Palavras-chave: ESPOROTRICOSE, PARACOCCIDIOIDOMICOSE, MICOSES/DIAGNÓSTICO, FUNGOS/ISOLAMENTO & PURIFICAÇÃO, MEIOS DE CULTURA/ISOLAMENTO & PURIFICAÇÃO, MICOSES, MEIOS DE CULTURA, FUNGOS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações