Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 83 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Reações cutâneas desencadeadas por drogas

Skin reactions to drugs


MARIA REGINA CAVARIANI SILVARES1, LUCIANA PATRÍCIA FERNANDES ABBADE2, MARCELO LAVEZZO3, TATIANA MARIA GONÇALVES4, JOÉLCIO FRANCISCO ABBADE5

1Mestre em Patologia pela Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp). Professora-assistente do Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) – Botucatu (SP), Brasil
2Doutora em cirurgia pela Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP. Professora Doutora do Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP – São Paulo (SP), Brasil.
3Aluno do sexto ano de graduação do curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) – Botucatu (SP), Brasil.
4Aluna do sexto ano de graduação do curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) – Botucatu (SP), Brasil.
5Doutor em Obstetricia pela Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp). Professor-assistente doutor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) – Botucatu (SP), Brasil.

Recebido em 15.06.2007. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 09.05.2008. *Trabalho realizado no Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) – Botucatu (SP), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Como citar este artigo: Silvares MRC, Abbade LPF, Lavezzo M, Gonçalves TM, Abbade JF. Reações cutâneas desencadeadas por drogas. Suporte financeiro: Nenhum / Financial funding: None

Correspondência:
Maria Regina Cavariani Silvares Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu – Unesp,Distrito de Rubião Junior, S/N. 18618-000 Botucatu – SP Tel./Fax: (14) 38116015 / 38824922 "E-mail":mregina@fmb.unesp.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Drogas podem desencadear reações adversas. As manifestações cutâneas são as mais comuns. OBJETIVO - Analisar as farmacodermias e relacionar as drogas envolvidas e os tipos de reações cutâneas mais freqüentes. MÉTODOS - Estudo retrospectivo e descritivo. Avaliados pacientes com diagnóstico inicial de farmacodermia internados na Enfermaria de Dermatologia, no período de janeiro de 1999 a junho de 2004. Incluídos no estudo os pacientes que confirmaram o diagnóstico de farmacodermia, com base em critérios clínicos e histopatológicos, após a análise dos prontuários. RESULTADOS - Tiveram diagnóstico inicial de farmacodermia 121 pacientes. Incluídos 43 pacientes, dos quais 51,2% eram do sexo feminino, e 86% da raça branca. Destes, 48,8% faziam uso de apenas uma medicação, sendo o grupo dos antibióticos o mais utilizado (20,9%) e o principal responsável pela farmacodermia(33,3%). O segundo grupo de drogas mais envolvido foi o dos antiinflamatórios (16,7%), seguido pelo dos anticonvulsivantes (13%), e analgésicos/antipiréticos (13%). A forma clínica da erupção cutânea foi exantema maculopapular em 41,9% dos pacientes, eritrodermia em 25,6% e urticária em 23,3%. CONCLUSÃO - O exantema maculopapular foi a principal forma de reação cutânea desencadeada por drogas, e os antibióticos, os medicamentos que mais freqüentemente desencadearam essas reações.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações