Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

10

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

10

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 83 Número 6




Voltar ao sumário

 

Investigação

Laser Erbium:YAG no tratamento de nevos melanocíticos *

Erbium: YAG laser in treatment of acquired melanocytic nevi *


Mauricio Martins1

1Mestre em Ciências da Saúde. Professor-assistente da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) – Curitiba (PR), Brasil.

Recebido em 04.6.2007. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 06.12.08. * Trabalho realizado em clínica privada – Curitiba (PR), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum / Conflict of interest: None Suporte financeiro: Nenhum / Financial funding: None Como citar este artigo: Martins M. laser Erbium:YAG no tratamento de nevos melanocíticos. An Bras Dermatol. 2008;83(6):533-7.

Correspondência:
Mauricio Martins Rua Marechal Deodoro, 869, 11º andar 80060 010 Curitiba PR Tel./Fax: (41) 3220-0329 3224-3064 E-mail: drmauriciomartins@yahoo.com.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS – Os nevos melanocíticos adquiridos são observados em grande parte da população e o resultado da sua excisão, dependendo da localização, extensão e fatores inerentes ao paciente, pode ser insatisfatório. OBJETIVO - Avaliar o uso do laser Erbium: YAG no tratamento de nevos melanocíticos adquiridos MÉTODOS - Foram selecionados nove pacientes, seis homens e três mulheres, brancos, com idade entre 20 e 60 anos e desejo de remover um nevo melanocítico composto no tronco. Metade do nevo foi tratada com laser, e a outra metade foi utilizada como controle. Após um mês da aplicação, foram avaliados a cicatrização, o resultado estético e a persistência de células névicas e melanina. RESULTADOS - Houve rápida cicatrização e ótimo resultado estético, no entanto, o exame histopatológico demonstrou a permanência de células névicas e melanina em sete e em nove das amostras examinadas, respectivamente. CONCLUSÃO - A utilização do laser Erbium:YAG, com os parâmetros utilizados neste estudo, não foi capaz de destruir completamente as células névicas melanocíticas e a melanina, não sendo, portanto, recomendada para o tratamento dessas lesões, dada a possibilidade de transformação maligna futura.

Palavras-chave: LASERS, MELANÓCITOS, NEVO PIGMENTADO

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações