Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 84 Número 2




Voltar ao sumário

 

Investigação

Prevalência do herpes-vírus humano tipo 1 em neoplasias cutâneas epiteliais malignas *

Prevalence of human herpes virus type 1 in epithelial skin cancer


Sylvia Ypiranga1, Aparecida Machado de Moraes2

1Dermatologista. Mestre em clínica médica – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Campinas (SP), Brasil.
2Dermatologista. Livre-docente em dermatologia – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Campinas (SP), Brasil.

Recebido em 29.6.2007. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 06.03.09. * Trabalho realizado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Campinas (SP), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum: Suporte financeiro: Fundação de Auxilio à Pesquisa – FAEP – Unicamp, Termo 519.294. Como citar este artigo: Ypiranga S, Moraes AM. Prevalência do herpes-vírus humano tipo 1 em neoplasias cutâneas epiteliais malignas. An Bras Dermatol. 2009;84(2):137-42.

Correspondência:
Sylvia Ypiranga Rua Tuim, 703 ap. 32 04514 103 São Paulo - SP Tel./fax: 11 5042 0798 E-mail: sylviaypiranga@uol.com.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS - O DNA viral pode atuar como oncogene, favorecendo o desenvolvimento de neoplasias, como as linfoides e da pele. Entre esses vírus, encontram-se alguns herpes-vírus humanos.
OBJETIVO - Identificar a presença de DNA do herpes-vírus humano tipo 1 em neoplasias epiteliais pré-malignas,malignas e pele normal de indivíduos controle, avaliando seu papel na carcinogênese.
MÉTODOS - Identificação, por reação em cadeia da polimerase, do DNA viral do tumor e pele sã de 41 pacientes e comparação com grupo controle, sem neoplasia. Análise estatística: Testes de Fisher e de McNemar.
RESULTADOS - O vírus foi identificado em 20 indivíduos sem e em 21 com neoplasia. Destes últimos, 11 o expessaram apenas nas células tumorais. A diferença, entretanto, não foi estatisticamente significante.
CONCLUSÕES - Parece não haver relação direta entre o encontro do DNA viral na pele sã e na pele tumoral. Sua presença pode facilitar o desenvolvimento da neoplasia ou apenas coincidir de se localizar onde esta já ocorreu.

Palavras-chave: HERPESVIRUS 1 HUMANO, NEOPLASIAS CUTÂNEAS, REAÇÃO EM CADEIA DA POLIMERASE, VÍRUS ONCOGÊNICOS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações