Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 84 Número 4




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Gnatostomíase no Brasil – Relato de caso

Gnathostomiasis in Brazil - Case report


Christiane Maria de Castro Dani1, Karina Frias Mota1, Paola Vizcaichipi Sanchotene1, Juan Piñeiro Maceira2, Cláudia Pires Amaral Maia3

1Médica especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Policlínica Geral do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
2Professor-associado. PhD. Depto de Patologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
3Professora assistente do Curso de pós graduação em dermatologia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro - Instituto de Pós Graduação Médica Carlos Chagas. Mestre em dermatologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Recebido em 07.05.2009. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 29.05.09. * Trabalho realizado na Policlínica Geral do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro (RJ), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Dani CMC, Mota KF, Sanchotene PV, Piñeiro-Maceira J, Maia CPA. Gnatostomíase no Brasil – Relato de caso. An Bras Dermatol. 2009;84(4):400-4.

Correspondência:
Cláudia Pires Amaral Maia Rua das Laranjeiras, 91, aptº 203 - Laranjeiras. 22240 002 Rio de janeiro RJ cpamaia@hotmail.com

 

Resumo

A gnatostomíase é parasitose endêmica em alguns países asiáticos, causada pela ingestão da larva do nematódio Gnathostoma sp, que pode ocorrer no consumo de carne crua de peixes de água doce. Atinge vários órgãos, entre eles a pele, manifestando-se frequentemente como lesão subcutânea migratória. Países da América Central e do Sul como México e Peru vêm apresentando número crescente de casos da doença desde 1970. Este trabalho registra o primeiro caso notificado e publicado no Brasil e alerta para o surgimento dessa doença em áreas anteriormente não endêmicas. Relata-se caso de paciente, com história de viagem ao Peru, que evoluiu com quadro cutâneo compatível com gnatostomíase.

Palavras-chave: GNATHOSTOMA, HELMINTOS, PANICULITE

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações