Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 84 Número 6




Voltar ao sumário

 

Revisão

Microscopia confocal reflectante aplicada ao diagnóstico do melanoma cutâneo *

Reflectance confocal microscopy in the diagnosis of cutaneous melanoma


Cintia Rito1, Juan Pineiro-Maceira2

1Mestranda pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (colaboração da Universidade degli studi di Reggio-Emilia – Modena). Preceptora de Dermatoscopia do curso de residência Médica do Hospital Geral de Bonsucesso - Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
2Pós-Doutorado pelo Armed Forces Institute of Pathology, Estados Unidos. Professor Adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 21.09.09.

Correspondência:
ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA / MAILING ADDRESS: Cintia Rito Rua Orcadas 447, apto 201, Jardim Carioca, Ilha do Governador, Rio de Janeiro Tel.:/Fax: 21 2463-2938, 7892-5693, 2463-2938 e-mail: cintiarito@hotmail.com

 

Resumo

O melanoma cutâneo é um problema de saúde pública a nível mundial. Sua incidência tem aumentado, de forma marcante, nos últimos anos, e o diagnóstico e excisão precoces são essenciais para o bom prognóstico dos pacientes. Neste contexto, a dermatoscopia ganhou grande importância, nas últimas duas décadas, melhorando, de forma significativa, a acurácia do diagnóstico do melanoma, em estágios iniciais. Porém, existem algumas lesões benignas que apresentam dermatoscopia duvidosa, levando à realização de cirurgias desnecessárias. Mais recentemente, a microscopia confocal reflectante vem sendo introduzida como método diagnóstico auxiliar promissor, por ser um exame não-invasivo, realizado in vivo, de forma simples, indolor e de rápida execução. É a única técnica capaz de identificar estruturas celulares e examinar a epiderme e a derme papilar, com resolução semelhante à da histopatologia, com uma sensibilidade de 97,3%, e especificidade de 72,3% para o diagnóstico do melanoma cutâneo. É uma importante ferramenta diagnóstica, visto que não substitui o exame histopatológico realizado no pós-operatório, mas permite a abordagem racional das lesões com dermatoscopia duvidosa, evitando procedimentos cirúrgicos desnecessários.

Palavras-chave: DIAGNÓSTICO, MELANOMA, MICROSCOPIA CONFOCAL

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações