Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 85 Número 3




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Estudo de associação entre anticorpos anticardiolipinas e fenômenos vasculares periféricos em pacientes com esclerodermia sistêmica

Study about the association between anticardiolipin antibodies and peripheral vascular phenomena in patients suffering from systemic scleroderma


Ana Paula Torres Liberati1, Camila Ferrari Ribeiro1, Thelma Skare2

1Residente do Serviço de Clínica Médica do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba (Huec) - Curitiba (PR), Brasil.
2Chefe do Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba (Huec); professora titular da disciplina de Reumatologia do curso de Medicina da Faculdade Evangélica do Paraná (Fepar) - Curitiba (PR), Brasil.

Recebido em 17.12.2008. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 27.11.2009. * Trabalho realizado no Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba (Huec) - Curitiba (PR), Brasil Conflito de interesse: Nenhum / Conflict of interest: None Suporte financeiro: Nenhum / Financial funding: None Como citar este artigo/How to cite this article: Liberati APT, Ribeiro CF, Skare T. Estudo de associação entre anticorpos anticardiolipinas e fenômenos vasculares periféricos em pacientes com esclerodermia sistêmica. An Bras Dermatol. 2010;85(3):403-5

Correspondência:
ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA / MAILING ADDRESS: Thelma Skare Rua João Alencar Guimarães, 796 80310 420 Curitiba - PR E-mail: tskare@onda.com.br

 

Resumo

Isquemia é comum em esclerodermia sistêmica e é causada por vasoespasmo e trombose. As autoras analisaram a associação de eventos vasculares periféricos e anticorpos anticardiolipinas (aCl) em 54 esclerodérmicos. Em 100% deles existia Raynaud; 59,2% apresentaram cicatrizes estelares; 43,3%, telangiectasias; 14,8%, fenômenos tromboembólicos periféricos. ACl IgG foram positivos em 9,2% dos casos e o IgM, em 7,4%. Fenômenos embólicos periféricos estão associados a aCl IgG (p=0,03), não se encontrando associação com demais manifestações.

Palavras-chave: ESCLERODERMIA DIFUSA, ESCLERODERMIA LIMITADA, ÚLCERA CUTÂNEA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações