Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 85 Número 6




Voltar ao sumário

 

Investigação

Aspectos epidemiológicos de pacientes com lesões ungueais e cutâneas causadas por Scytalidium spp

Epidemiological aspects of patients with ungual and cutaneous lesions caused by Scytalidium spp.


Ana Paula Martins Xavier1, Jeferson Carvalhaes de Oliveira2, Vera Lúcia da Silva Ribeiro3, Maria Auxiliadora Jeunon Souza4

1Farmacêutica-bioquímica; mestranda do Programa de Pós-graduação stricto sensu em Microbiologia e Parasitologia Aplicadas (PPGMPA) - Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
2Professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
3Professora da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
4Professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); dermatologista; chefe do setor de Dermatologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

 

Resumo

FUNDAMENTO - As dermatomicoses causadas por fungos filamentosos não dermatófitos são infecções raras, exceto as onicomicoses, cuja prevalência vem crescendo nos últimos anos. Dentre esses agentes etiológicos destacam-se o Scytalidium dimidiatum e o S. hyalinum, fungos emergentes responsáveis por micoses em unhas e pele.
OBJETIVO - Investigar as características epidemiológicas das onicomicoses e micoses de outras localizações causadas pelos fungos do gênero Scytalidium, utilizando-se como parâmetros sexo, idade e localizações das lesões.
MÉTODOS – Avaliaram-se 81 amostras com cultura positiva para o gênero em estudo, oriundas de 74 pacientes encaminhados ao Laboratório de Investigação em Dermatologia (ID) situado na cidade do Rio de Janeiro(RJ), no período de 1997 a 2006. As amostras foram submetidas a confirmação diagnóstica por exame direto e cultura.
RESULTADOS - A prevalência de onicomicoses por Scytalidium spp. foi de 0,87%, entre as idades de 41 e 60 anos (48,64%). Em relação à localização das lesões, os pés foram mais acometidos (91,36%), com predomínio do hálux esquerdo. No exame direto, as estruturas mais encontradas foram hifas hialinas; na cultura, a espécie S. dimidiatum foi a mais frequente.
CONCLUSÃO - As onicomicoses por Scytalidium spp. são raras e o S. dimidiatum foi a espécie mais isolada neste laboratório no período em estudo.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações