Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 85 Número 6




Voltar ao sumário

 

Investigação

Comparação entre a concentração de mastócitos em carcinomas espinocelulares da pele e da cavidade oral

A comparison between the concentration of mast cells in squamous cell carcinomas of the skin and oral cavity


Ana Carolina Gomes Parizi1, Ricardo Luís Barbosa2, José Luiz Santos Parizi3, Gisele Alborghetti Nai4

1Especialista. Médica, ex-acadêmica da Faculdade de Medicina de Presidente Prudente – Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) – Presidente Prudente (SP), Brasil.
2Doutor. Matemático do Laboratório de Bioestatística – Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP) – São Paulo (SP), Brasil.
3Especialista. Professor do Departamento de Patologia, Faculdade de Medicina e Faculdade de Odontologia de Presidente Prudente – Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) – Presidente Prudente (SP), Brasil.
4Doutora. Professora do Departamento de Patologia da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) – Presidente Prudente (SP), Brasil.

 

Resumo

FUNDAMENTOS: A letalidade dos carcinomas espinocelulares (CECs) de pele é considerada baixa. Os CECs de boca têm prognóstico ruim. Evidências atuais sugerem que os mastócitos, residentes no tecido normal, contribuem para a tumorigênese dos CECs, provavelmente por promoverem angiogênese.
OBJETIVO: Comparar a concentração de mastócitos em CECs da pele e da boca e avaliar se há correlação com o grau de diferenciação desses tumores.
MATERIAL E MÉTODOS: Foram analisados 30 casos de CEC de pele e 34 casos de CEC de boca. A coloração de azul de toluidina, para evidenciar os mastócitos, foi realizada nos blocos com a área central da neoplasia.
RESULTADOS: Apenas um caso de CEC de pele apresentou concentração de mastócitos de 0-10 e nenhum caso de CEC de boca apresentou concentração maior que 201 mastócitos no tumor. A maioria dos CECs de boca tem concentração de mastócitos entre 0 e 10 (47% – n = 16); 80% dos CECs de pele têm concentração acima de 51 mastócitos. Todos os casos de CEC de boca com concentração entre 100 e 200 mastócitos e 80% daqueles com concentração entre 51 e 99 eram de lábio. A concentração de mastócitos não está relacionada ao grau de diferenciação do tumor.
CONCLUSÃO: A concentração de mastócitos é menor nos CECs de boca, exceto nos de lábio, podendo refletir uma menor necessidade de ativação de células do microambiente para melhorar a vascularização nos cânceres de boca.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações