Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 85 Número 6




Voltar ao sumário

 

Investigação

UVB: suscetibilidade no melanoma maligno *

UVB: susceptibility in malignant melanoma


Nilton Nasser1

1Doutor em dermatologia. Professor titular – Universidade Regional de Blumenau – Blumenau (SC), Brasil.

Received on 01.09.2009. Approved by the Advisory Board and accepted for publication on 22.10.2010. * Work conducted at the Regional University of Blumenau – Blumenau (SC), Brazil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Nasser N. UVB - susceptibility in malignant melanoma . An Bras Dermatol. 2010;85(6):843-8.

Correspondência:
Nilton Nasser Rua Curt Hering, 20 – 3º andar – Centro 89010-030 Blumenau – SC, Brazil Phone.: 47 8408 0453 E-mail: ninasser.bnu@terra.com.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS: Está bem definido que a radiação ultravioleta provoca depleção imunológica na pele, permitindo o desenvolvimento de tumores cutâneos malignos. A maioria dos pacientes de cânceres da pele não melanomas são considerados UVB-suscetíveis.
OBJETIVOS: Estudar a UVB-suscetibilidade nos pacientes com melanoma maligno e se este é um fator de risco para o desenvolvimento desse câncer.
MÉTODOS: Foram selecionados 88 voluntários divididos em dois grupos: grupo-controle saudável (n=61) e grupo de portadores de melanoma (n=27), todos identificados de acordo com os critérios: tipo histológico, nível de invasão, fotótipos de pele, sexo e idade. A suscetibilidade à radiação ultravioleta B (UVB) foi medida pela reação de hipersensibilidade ao contato com o difenciprone nos voluntários sensibilizados em áreas previamente irradiadas.
RESULTADOS: A suscetibilidade à radiação UVB foi de 81,5% nos pacientes com melanoma maligno e de 31,2% no grupo-controle. O risco de um indivíduo desenvolver o melanoma maligno foi 9,7 vezes maior do que nos indivíduos UVB-resistentes.
CONCLUSÕES: A UVB-suscetibilidade pode ser considerada um fator de risco importante para o desenvolvimento do melanoma maligno.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações