Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 1




Voltar ao sumário

 

Revisão

Mesoterapia: uma revisão bibliográfica *

Mesotherapy: a bibliographical review


Fernanda Oliveira Camargo Herreros1, Aparecida Machado de Moraes2, Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho3

1Doutora; Pesquisadora Voluntária, Disciplina de Dermatologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Campinas (SP), Brasil.
2Livre-docente; Professora Adjunta da Disciplina de Dermatologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Campinas (SP), Brasil.
3Doutor; Professor doutor; Coordenador da Disciplina de Dermatologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Campinas (SP), Brasil

Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 25.05.2010. * Trabalho realizado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Campinas (SP), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum

Correspondência:
Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho Rua Frei Manoel da Ressurreição, 1.144, Jd. Guanabara 13073-221 Campinas - SP, Brasil Tel: 19 3521 7602 E-mail: pvelho@unicamp.br

 

Resumo

A intradermoterapia é um procedimento médico introduzido por Pistor, em 1958, e consiste na aplicação, diretamente na região a ser tratada, de injeções intradérmicas de substâncias farmacológicas muito diluídas. Esse método é capaz de estimular o tecido que recebe os medicamentos tanto pela ação da punctura quanto pela ação dos fármacos, e apregoa-se que sua vantagem é evitar o uso de medicação sistêmica. Há relatos da utilização da intradermoterapia para tratamento de doenças dolorosas, dermatoses e condições consideradas inestéticas. Atualmente, clínicas médicas oferecem esse tratamento, utilizando, porém, o nome mais popular para essa prática, mesoterapia. Há escassa informação científica sobre o tema publicada em periódicos indexados no MedLine e poucos estudos com metodologia mais rigorosa sobre a eficácia e o mecanismo de ação da via intradérmica. A maioria das publicações indexadas sobre esse tema versa sobre as complicações dessa técnica. As dermatoses inestéticas têm se tornado queixas frequentes nos consultórios dermatológicos, sendo necessário um embasamento científico para lidar com tais pacientes, os quais, muitas vezes, estão em busca das novidades mostradas através da mídia. Assim, há necessidade de estudos cientificamente bem conduzidos sobre essa técnica. Estes estudos deverão oferecer aos médicos elementos para esclarecer os pacientes sobre quais benefícios esperar e quais os riscos de tal abordagem. Desse modo, realizou-se uma revisão bibliográfica sobre o assunto e constatou-se a necessidade de novos estudos com metodologia adequada para a confirmação dos benefícios da intradermoterapia como ferramenta útil no tratamento dermatológico.

Palavras-chave: INJEÇÕES INTRADÉRMICAS, PELE, REVISÃO, TERAPÊUTICA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações