Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 1




Voltar ao sumário

 

Dermatopatologia

Dermatomiofibroma: relato de caso de doença rara*

Dermatomyofibroma: a case report of a rare disease


Priscila Marques de Macedo1, Danielle Mann2, Carolina Cotta Zimmerman2, Maria de Fátima Guimarães Scotelaro Alves3, Egon Luiz Rodrigues Daxbacher4

1Pós Graduanda do Serviço de Dermatologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro(RJ), Brasil.
2Residente do Serviço de Dermatologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro(RJ), Brasil.
3Doutorado pela UFRJ - Professora adjunta responsável pelo setor de Dermatopatologia do Serviço de Dermatologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro(RJ), Brasil.
4Preceptor do Serviço de Dermatologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro(RJ), Brasil.

Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 25.11.2010. * Trabalho realizado no Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE – UERJ)- Rio de Janeiro(RJ), Brasil Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum

Correspondência:
Priscila Marques de Macedo Boulevard vinte e oito de setembro, 87, Vila Isabel 20551-030 Rio de Janeiro – RJ, Brasil e-mail: pridermauerj@yahoo.com.br

 

Resumo

O Dermatomiofibroma está incluído no grupo de lesões neoplásicas mesenquimais benignas de linhagem fibroblástica e miofibroblástica da pele. É uma doença rara, havendo aproximadamente 100 casos descritos na literatura mundial até o momento. Este artigo relata o caso de uma mulher jovem com apresentação clínica típica e diagnóstico histopatológico de dermatomiofibroma. Foram realizadas colorações especiais que mostraram preservação das fibras colágenas e a imunohistoquímica revelou positividade para vimentina e negatividade para actina e S100. Por se tratar de doença rara, os achados histopatológicos são de grande importância, mas a supeição clínica é possível em casos típicos como este.

Palavras-chave: FIBROBLASTOS, MIOFIBROMA, NEOPLASIAS CUTÂNEAS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações