Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 81 Número S3




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Líquen escleroso e atrófico – relato de dois casos de apresentação atípica

Lichen sclerosus et atrophicus – report of two cases with atypical presentations


WEBER SOARES COELHO1, LUCIA MARTINS DINIZ2, JOÃO BASILIO DE SOUZA FILHO3

1Pós-graduado em Dermatologia pelo Serviço de Dermatologia da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - Vitória (ES), Brasil.
2Professora Assistente do Serviço de Pós-Graduação e Residência em Dermatologia da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - Vitória (ES), Brasil.
3Professor Titular do Serviço de Pós-Graduação e Residência em Dermatologia da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - Vitória (ES), Brasil.

Recebido em 29.01.2004. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 07.06.2006. Trabalho realizado no Serviço de Pós-Graduação e Residência Médica em Dermatologia da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - EMESCAM - Vitória (ES), Brasil. Conflito de interesse declarado: Nenhum _Como citar este artigo:_ Coelho WS, Diniz LM, Souza Filho JB. Líquen escleroso e atrófico – relato de dois casos de apresentação atípica. An Bras Dermatol. 2006;81(5 Supl 3):S297-300.

Correspondência:
Weber Soares Coelho. Rua José Saretta, 155 - Bairro Nova Aliança – 14026-593 - Ribeirão Preto - SP Telefone: (16) 3911-8877 "E-mail":wscoelho15@yahoo.com.br

 

Resumo

O líquen escleroso e atrófico é doença crônica da pele que se apresenta clinicamente de forma variada. Pode acometer mulheres e, menos freqüentemente, homens e crianças, sendo a área mais afetada a região anogenital. Há forte associação com doenças auto-imunes, e estudos imunogenéticos têm revelado associação com o HLA DQ7. Raramente acomete áreas extragenitais; entretanto, os autores relatam dois casos da doença, com localizações atípicas (extragenitais) e fazem uma abordagem terapêutica distinta. O uso tópico de corticoterapia de alta potência é relatado, porém, com riscos; enquanto agentes imunomoduladores tópicos são descritos com boa resposta clínica e com menor risco de atrofia.

Palavras-chave: ATROFIA, ESCLERODERMIA LOCALIZADA, LÍQUEN ESCLEROSO E ATRÓFICO

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações