Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Aleitamento materno e colonização mucocutânea pelo Staphylococcus aureus na criança com dermatite atópica

Breastfeeding and mucosal and cutaneous colonization by Staphylococcus


Raissa Massaia Londero Chemello1, Elsa Regina Justo Giugliani2, Renan Rangel Bonamigo3, Vera Silveira Bauer4, Maria Cristina P. Cecconi5, Gladys M. Zubaran6

1Mestre em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Porto Alegre (RS), Brasil.
2Doutora em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade de São Paulo (USP); coordenadora da Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde (Dapes/ SAS/ MS) – Porto Alegre (RS), Brasil.
3Doutor em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); coordenador do Curso de Especialização em Dermatologia e supervisor do Programa de Residência Médica em Dermatologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCMPA) – Porto Alegre (RS), Brasil.
4Médica; preceptora da Residência do Ambulatório de Dermatologia Sanitária da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (SES – RS) – Porto Alegre(RS), Brasil.
5Técnica em Saúde e Ecologia Humana da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (FEPPS) – Porto Alegre (RS), Brasil.
6Farmacêutica pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); técnica da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (FEPPS) – Porto Alegre (RS), Brasil.

Recebido em 18.07.2010. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 03.08.10. * Trabalho realizado no Ambulatório de Dermatologia Sanitária de Porto Alegre (ADS - RS) e no Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (Lacen - RS) – Porto Alegre (RS), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum / Conflict of interest: None Suporte financeiro: Nenhum / Financial funding: None

Correspondência:
ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA / MAILING ADDRESS: Raissa Massaia Londero Chemello Rua Mostardeiro, 157/401 90430-001 Porto Alegre - RS E-mail: raissalondero@gmail.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: Não há consenso quanto ao efeito do aleitamento materno no desenvolvimento da dermatite atópica. É necessário aprofundar conhecimentos sobre possíveis fatores envolvidos nessa relação, como a influência do aleitamento materno na colonização do paciente atópico pelo Staphylococcus aureus (S. aureus). OBJETIVO: Avaliar uma potencial associação entre aleitamento materno e colonização pelo S. aureus nas crianças atópicas. MÉTODOS: Estudo transversal envolvendo 79 crianças atópicas de 4-24 meses, de ambos os sexos, em acompanhamento no Ambulatório de Dermatologia Sanitária de Porto Alegre, e 72 mães. Registraram-se dados clinicoepidemiológicos e de alimentação das crianças. Pesquisou-se a presença do S. aureus em swab nasal e cutâneo nas crianças e swab nasal das respectivas mães. Para análise dos dados, realizaram-se os testes qui-quadrado de Pearson e exato de Fischer. RESULTADOS: Entre as crianças amamentadas, S. aureus foi encontrado nas cavidades nasais de oito (25,8%) e na pele (fossas cubitais) de quatro (12,9%). Entre as não amamentadas, encontrou-se S. aureus nas cavidades nasais de dez (20,8%) e na pele de 11 (22,9%). Entre as mães, 16 (22,2%) apresentaram crescimento de S. aureus no material proveniente do swab nasal. Não se observou associação significativa entre aleitamento materno e colonização pelo S. aureus das cavidades nasais ou da pele das crianças. Entretanto, houve concordância entre a colonização pelo S. aureus nas cavidades nasais das mães e nas cavidades nasais e/ou na pele dos filhos. Das 72 duplas, houve concordância em 56 (77,8%). CONCLUSÃO: O aleitamento materno parece não influenciar a colonização mucocutânea pelo S. aureus em crianças com dermatite atópica.

Palavras-chave: Aleitamento materno, Dermatite atópica, Staphylococcus aureus

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações