Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Reprodutibilidade do diagnóstico histopatológico de dermatoses por fotomicrografias digitais versus microscopia óptica convencional

Reproducibility of histopathologic diagnosis of skin diseases by digital photomicrographs versus conventional optical microscopy *


Fernanda Almeida Schettini1, Luiz Carlos Lima Ferreira2, Antonio Pedro Mendes Schettini3, Romildo Torres Camelo4

1Graduanda em Medicina pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) – Manaus (AM), Brasil
2Doutor em Patologia; professor-associado de Patologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) – Manaus (AM), Brasil.
3Mestre; médico dermatopatologista da Fundação Alfredo da Matta (Fuam) – Manaus (AM), Brasil.
4Especialista em Patologia; patologista da Fundação Centro de Controle do Câncer do Amazonas – Manaus (AM), Brasil.

Recebido em 22.02.2010. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 18.08.10. * Trabalho realizado na Fundação Alfredo da Matta (Fuam) – Manaus (AM), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum

Correspondência:
Fernanda Almeida Schettini Rua Benjamin Lima, 16 - Quadra 36 - Planalto 69044-040 Manaus - AM Tel.: (92) 32387322 E-mail: nanda_schettini@hotmail.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: A telepatologia é considerada boa alternativa para consultas de segunda opinião. Sua implementação é desejável, mas estudos que confirmem sua aplicação prática são necessários. OBJETIVOS: Analisar a concordância entre os diagnósticos histopatológicos de dermatoses feitos com base em microfotografias digitais em comparação com a microscopia convencional. MÉTODOS: As lâminas de 135 pacientes foram avaliadas por dois consultores por meio de microscópio. Após quatro semanas, os mesmos consultores avaliaram 1.738 microfotografias digitais obtidas dessas lâminas. Estimou-se a taxa geral de concordância intraobservadores e interobservadores e obteve-se o índice Kappa com a categorização das dermatoses: dermatoses neoplásicas, dermatoses infectocontagiosas e não infectocontagiosas. RESULTADOS: A concordância do Consultor 1, que analisou lâminas ao microscópio versus imagens, foi de 88,1% (IC 95% = 81,5% - 93,1%). O Consultor 2 obteve concordância de 80,7% (IC 95% = 73,1% - 87%). A concordância interconsultores ao microscópio foi de 81,5% (IC 95% = 73,9% - 87,6%). A mesma análise por meio de microfotografias mostrou concordância de 85,9% (IC 95% = 78,9% - 91,3%). O índice Kappa, que avalia as dermatoses categorizadas, foi de 98,6% para o Consultor 1, de 93,1% para o Consultor 2, de 95,8% para interconsulta por imagens e de 95,9% para interconsultas ao microscópio óptico. Todos esses valores são considerados ótimos. CONCLUSÃO: A avaliação das microfotografias apresentou ótimo nível de reprodutibilidade quando comparada à microscopia tradicional, sendo uma opção viável para consultas de segunda opinião em dermatopatologia.

Palavras-chave: DERMATOLOGIA, DIAGNÓSTICO POR COMPUTADOR, REPRODUTIBILIDADE DOS TESTES, TELEPATOLOGIA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações