Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

26

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

26

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Hiperplasia sebácea cutânea: estudo piloto para a correlação da doença com hormônios androgênios

Sebaceous hyperplasia: a pilot study to correlate this skin disease with circulating androgen levels


Sandra Tagliolatto1, Mauricio M. A. Alchorne2, Mauro Enokihara3

1Mestre em dermatologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) – São Paulo (SP), Brasil.
2Livre-docente em dermatologia; professor titular do Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) – São Paulo (SP), Brasil.
3Doutor em dermatologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); professor doutor do Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) – São Paulo (SP), Brasil.

Recebido em 20.05.2010. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 09.07.2011. * Trabalho realizado em clínica particular – Campinas (SP), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) Como citar este artigo: Tagliolatto S, Alchorne MAM, Enokihara M. Hiperplasia sebácea cutânea: estudo piloto para a correlação da doença com hormônios androgênios. An Bras Dermatol. 2011;86(5):917-23.

Correspondência:
Sandra Tagliolatto Rua Luzitana, 740 - 4º andar - Bosque 13015-121 Campinas - SP Telefax: (19) 3237-4562 E-mail: dermoclinica@dermoclinica.med.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS: As glândulas sebáceas são suscetíveis à ação dos hormônios androgênios e apresentam proliferação benigna com a idade, ou seja, hiperplasia.
OBJETIVOS: Estudo piloto para verificar se há correlação entre a taxa de hormônios masculinos circulantes e o aumento da incidência da hiperplasia das glândulas sebáceas.
MÉTODOS: 16 pacientes do sexo feminino, com diagnóstico de hiperplasia sebácea cutânea, foram comparados a um grupo-controle de mesmo gênero e idades semelhantes, sem a doença. Ambos os grupos foram submetidos a testes de dosagem sanguínea para avaliação das taxas de hormônios androgênios circulantes (testosterona livre e total, androstenediona). Os resultados foram tabulados e analisados estatisticamente.
RESULTADOS: Os dados demonstraram não haver mudanças nos níveis de hormônios masculinos circulantes dos pacientes com hiperplasia sebácea cutânea, quando comparados ao grupo-controle.
CONCLUSÕES: Os dados sugerem que não há alterações estatisticamente significantes nas taxas dos hormônios circulantes (testosterona livre e total, androstenediona, deidroepiandrosterona, sulfato de deidroepiandrosterona) dos pacientes com hiperplasia sebácea cutânea.

Palavras-chave: GLÂNDULAS SEBÁCEAS, HIPERPLASIA, HORMÔNIOS, HORMÔNIOS SUBSTITUTOS E HORMÔNIOS ANTAGONISTAS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações