Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Linfadenite tuberculosa associada ao HIV: a importância da reação em cadeia de culose - estudo de 104 pacientes polimerase (PCR) como ferramenta complementar para o diagnóstico da tuber

HIV-associated tuberculous lymphadenitis: the importance of polymerase chain reaction for the diagnosis of tuberculosis – a study of 104 patients(PCR) as a complementary tool


Marcio Valle Cortez1, Cintia Mara Costa de Oliveira2, Rossicléia Lins Monte3, José Ribamar de Araújo4, Bruna Backsmann Braga5, Débora Zotteli dos Reis5, Luis Carlos de Lima Ferreira6, Milton Ozório Moraes7, Sinésio Talhari8

Correspondência:
Sinésio Talhari Av. Pedro Texeira, 25 - Dom Pedro 69040-000 Manaus, Amazonas, Brazil. E-mail: sinesiotalhari@terra.com.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS: A linfadenite é comum em pacientes HIV-positivos. O diagnóstico das infecções associadas a essa condição é complexo, especialmente em relação à tuberculose. A detecção rápida e específica do Mycobacterium tuberculosis (M. tuberculosis) é essencial para o tratamento adequado. Além disso, frequentes causas de linfadenites tais como as relacionadas a linfoma, histoplasmose, e outras, devem ser afastadas.
OBJETIVOS: Avaliar a importância da biópsia cirúrgica excisional das linfadenites e realização dos exames histopatológicos, exames baci- loscópicos (Ziehl-Neelsen), cultura (Lowenstein-Jensen) e reação em cadeia da polimerase (PCR) com finalidade diagnostica.
MÉTODOS: Desenvolveu-se um protocolo para biópsias excisionais de linfonodos, adotando-se os seguintes procedimentos: exame direto de esfregaços corados pelo método de Ziehl-Neelsen, cultura em meio de Lowenstein-Jensen, exame anátomo-patológico e PCR.
RESULTADOS: Ao todo foram incluídos 104 pacientes, e o exame histopatológico evidenciou 36% (n = 38 pacientes) de casos de linfadenite crônica inespecífica, 26% (n = 27) de linfadenite tuberculosa, 10,5% (n =11) de linfoma e 8,7% (n = 9) de histoplasmose. Através da cultura no meio de Lowenstein-Jensen, os casos positivos para linfadenite tuberculosa aumentaram para 30%. A PCR detectou M. tuberculosis em 6 das 38 amostras de linfadenite crônica inespecífica. Três desses pacientes foram acompanhados, exibiram sintomas de tuberculose e foram curados após tratamento específico.
CONCLUSÃO: Os dados obtidos neste trabalho sugerem que em todos os casos de linfadenopatia deve-se realizar exame histopatológico, cultura em Lowenstein-Jensen ou Ogawa e reação em cadeia da polimerase. A reação em cadeia da polimerase pode ser útil na detecção precoce e acurada de casos de TB extrapulmonar nos pacientes HIV-positivos com linfadenopatias, evitando-se o uso de tratamentos empíricos e o eventual desenvolvimento de cepas resistentes.

Palavras-chave: HIV, INFECÇÕES OPORTUNISTAS RELACIONADAS COM A AIDS, TUBERCULOSE, TUBERCULOSE DOS LINFONODOS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações