Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 5




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Leiomiossarcoma cutâneo no tronco

Cutaneous leiomyosarcoma on the trunk


Marisa Carpinteiro André1, Joana Veiga Antunes 2, Miguel Duarte Reis3, Paulo Leal Filipe4, Luís Miguel Soares de Almeida4

1Mestre - Residente de Dermatovenereologia - Clínica Universitária de Dermatologia, Hospital de Santa Maria – Lisboa, Portugal.
2Mestre - Residente de Dermatovenereologia - Clínica Universitária de Dermatologia, Hospital de Santa Maria – Lisboa, Portugal
3Médico - Assistente Hospitalar - Clínica Universitária de Dermatologia, Hospital de Santa Maria – Lisboa, Portugal.
4Professor - Assistente Hospitalar - Clínica Universitária de Dermatologia, Hospital de Santa Maria – Lisboa, Portugal.

Recebido em 14.02.2010. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 25.07.2010. * Trabalho realizado na Clínica Universitária de Dermatologia, Hospital de Santa Maria, Lisboa, Portugal. Conflict of interest: None Financial funding: None Como citar este artigo: André MC, Antunes JV, Reis MD, Filipe PL, Almeida LMS. Leiomiossarcoma cutâneo no tronco. An Bras Dermatol. 2011;86(5):999-1002.

Correspondência:
Marisa C. André Clínica Universitária de Dermatologia - Hospital de Santa Maria Av. Prof. Egas Moniz 1649-035 Lisboa, Portugal Tel./Fax: 00351 217805197/6 / 00351 217954447 E-mail: marisa.andre@netc.pt

 

Resumo

O Leiomiossarcoma cutâneo é um tumor maligno que representa 7% dos sarcomas dos tecidos moles, afetando, mais frequentemente, homens entre os 50-70 anos. A localização, no tronco, é atípica, constituindo 10 a 15% dos casos. A radioterapia e o traumatismo prévio têm sido referidos como fatores de risco. Descrevemos um homem de 57 anos, com tumor eritemato-violáceo, indolor, de consistência dura, localizado na região pré-esternal, com cerca de oito meses de evolução. A histopatologia evidenciou tumor maligno de células fusiformes, com núcleos em forma de "charuto", pleomórficos, com alto índice mitótico, ocupando toda a espessura da derme. Estas células expressaram actina do músculo liso, desmina e vimentina e foram negativas para proteína S-100 e pancitoqueratina. Foi efetuada a exérese cirúrgica radical do tumor.

Palavras-chave: IMUNOISTOQUÍMICA, LEIOMIOSSARCOMA, SARCOMA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações