Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 77 Número 5




Voltar ao sumário

 

Artigo de revisão

Experiência clínica na avaliação de 284 casos de erisipela

Clinical experience assessing 284 cases of erisipela


CARLOS HENRIQUE DE A. BERNARDES1, JOÃO CARLOS DE AGUIAR AUGUSTO2, LARISSA TORRES CARDOSO LOPES3, KARINA TORRES CARDOSO3, JAQUELINE RODRIGUES DOS SANTOS3, LUSIMEIRE MÁXIMO DOS SANTOS3

1Professor Titular da Disciplina de Cirurgia Vascular da Faculdade de Ciências Médicas de Santos. Chefe do Serviço de Cirurgia Vascular da Santa Casa de Misericórdia de Santos
2Assistente do Serviço de Cirurgia Vascular da Santa Casa de Misericórdia de Santos
3Acadêmica da Faculdade de Ciências Médicas de Santos

Recebido em 21.07.1998. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 06.03.2001. Trabalho realizado no Serviço de Cirurgia Vascular da Santa Casa de Misericórdia de Santos - Faculdade de Ciências Médicas de Santos

Correspondência:
Dr. Carlos Henrique de Alvarenga Bernardes Rua Luiz Suplicy, 73 / Conj. 1 - Gonzaga Santos SP 11055-330 Tel.: (13) 3234-9532/3232-3587 "E-mail":chab@uol.com.br

 

Resumo

Os autores analisam algumas características da erisipela no Brasil, alertando para a importância das formas de prevenção de recorrências, que podem ocasionar um quadro clínico de elefantíase, limitando muito as atividades familiares, sociais e profissionais do paciente. Fazem uma análise retrospectiva de 284 casos de erisipela no período de 1995 a 1996, analisando os seguintes fatores: sexo, idade, topografia da lesão, predisposição local e sistêmica, porta de entrada, tratamento, complicações e eventual necessidade de internação. Os resultados mostram que os homens e os obesos são mais atingidos pela doença, a faixa etária com maior incidência é a dos 60 aos 70 anos, e os membros inferiores são os locais de preferência para instalação. Nesta casuística, a tinha dos pés foi a principal porta de entrada da infecção bacteriana, e, quando o paciente apresentava bolhas necrotizantes, houve necessidade de internação hospitalar para tratamento. Como medicação de escolha e não havendo contra-indicação, a maioria dos casos foi tratada com penicilina benzatina e a cristalina.

Palavras-chave: ERISIPELA, STREPTOCOCCUS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações