Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 6




Voltar ao sumário

 

Investigação

Carcinoma epidermoide do pênis: estudo clínico-patológico de 34 casos*

Squamous cell carcinoma of the penis: clinicopathologic study of 34 cases*


Fabiana Braga França Wanick1, Tullia Cuzzi Teichner2, Rosane Silva3, Mônica Maria Ferreira Magnanini4, Lucia Maria Soares de Azevedo5

1Mestrado em Ciências Médicas (Dermatologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - Dermatologista e preceptora da residência médica do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
2Doutorado em Dermatologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Professora-adjunta do Departamento de Patologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - Pesquisadora em Saúde, titular do Serviço de Anatomia Patológica do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas - Fundação Oswaldo Cruz (IPEC – FIOCRUZ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
3Doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Fox Chase Cancer Center - EUA – Professora-adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
4Doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) - Estatística do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva – Universidade Federal do Rio de Janeiro (IESC-UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil
5Doutorado em Medicina (Dermatologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Professora-associada de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - Coordenadora do Ambulatório de Dermatologia Genital do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho – Universidade Federal do Rio de Janeiro (HUCFF – UFRJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Recebido em 19.11.2010. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 03.12.10. * Trabalho realizado no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho - Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - Rio de Janeiro (RJ), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Suporte Financeiro: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Como citar este artigo: Wanick FBF, Cuzzi T, Silva R, Magnanini MMF, Azevedo LMS. Carcinoma epidermoide do pênis: estudo clínico-patológico de 34 casos. An Bras Dermatol. 2011;86(6):1082-91.

Correspondência:
Fabiana Braga França Wanick Rua Prof. Rodolpho Paulo Rocco, 255 - 5o. andar Sala 5B11 Cidade Universitária - Ilha do Fundão 21941 913 Rio de Janeiro - RJ E-mail: fabiana.wanick@gmail.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: No Brasil, a incidência do câncer do pênis é de 8,3 casos/100.000 habitantes, contrastando com 0,7 na Europa e nos Estados Unidos. Em 95% dos casos, trata-se do carcinoma epidermoide. Em geral, é diagnosticado tardiamente.
OBJETIVOS: Descrever as características clínico-patológicas do carcinoma epidermoide do pênis, registradas no Hospital entre 1978 e 2004.
MÉTODOS: Estudo observacional transversal. Incluíram-se os casos de carcinoma epidermoide do pênis, confirmados histologicamente. Avaliaram-se, pessoalmente, os pacientes que atenderam à convocação para o estudo, enquanto os demais tiveram seus dados pesquisados nos prontuários médicos.
RESULTADOS: Registraram-se 34 pacientes com carcinoma epidermoide do pênis: 8 in situ e 26 invasivos, com idade média de 54,7 12,5 anos, respectivamente. A± 22,4 e 64,7 ±, A glande foi acometida em 91,1% dos casos e o prepúcio, em 41,1%. Os carcinomas epidermoides in situ exibiam pápulas ou eritema e erosão, geralmente menores do que 2 cm. Os invasivos mostravam úlceras e/ou vegetações, geralmente únicas, e maiores do que 2 cm. Dos CE invasivos, 80,8% eram bem diferenciados; metade encontrava-se no estágio I TNM e o restante, do II ao IV; 16 pacientes tiveram o pênis amputado e 3 faleceram.
CONCLUSÕES: O câncer do pênis é raro, acomete adultos de todas as faixas etárias e o tratamento pode ser agressivo. O aspecto clínico inespecífico das lesões iniciais, o insuficiente treinamento médico em lesões dermatológicas e a carência de rotinas de investigação diagnóstica, tratamento e acompanhamento destes casos contribuem para o mau prognóstico desta neoplasia.

Palavras-chave: CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS, DOENÇAS DO PÊNIS, NEOPLASIAS PENIANAS, PÊNIS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações