Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 77 Número 5




Voltar ao sumário

 

Artigo de revisão

Pitiríase Versicolor

Pityriasis Versicolor


JOSENILDO RODRIGUES DE OLIVEIRA1, VIVIANE TOM MAZOCCO1, DENISE STEINER2

1Médico Residente, Departamento de Dermatologia, Faculdade de Medicina de Jundiaí.
2Professora Adjunta; Doutora da Disciplina de Dermatologia

Recebido em 30.03.2001. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 02.4.2002. Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia do Hospital das Clínicas de Franco da Rocha, Faculdade de Medicina de Jundiaí.

Correspondência:
Profa. Dra. Denise Steiner Rua Engº Edgar Egídio de Souza, 420 Pacaembú São Paulo SP 01233-020 Tel.: (11) 825 9955 / 825 9968 Fax: (11) 825 9315 "E-mail":clinica-stockli@sti.com.br

 

Resumo

A expressão pitiríase versicolor define uma infecção fúngica superficial caracterizada por alterações na pigmentação cutânea. O distúrbio de pigmentação é devido à colonização do estrato córneo por um fungo dimórfico, lipofílico, encontrado na flora normal da pele, conhecido como Malassezia furfur. Trata-se de doença prevalente nos trópicos, mas também comum em climas temperados. Há vários tratamentos disponíveis com taxas elevadas de cura, porém as recorrências são freqüentes.

Palavras-chave: PITIRÍASE., FUNGOS, MALASSEZIA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações