Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

8

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

8

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 86 Número 6




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Criptococcose cutânea primária em paciente imunocompetente*

Primay cutaneous cryptococcosis in an immunocompetent patient*


Nilton Nasser1, Nilton Nasser Filho2, Andreza Guimarães Vieira3

1Doutor em Dermatologia - Professor Titular Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) – Blumenau (SC), Brasil.
2Médico residente em dermatologia – Policlínica Geral do Rio de Janeiro (PGRJ) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
3Médica – Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) – Blumenau (SC), Brasil.

Recebido em 01.04.2011. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 10.05.2011. * Trabalho realizado em Clinica Particular e Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) – Blumenau (SC), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Nasser N, Nasser Filho N, Vieira AG. Criptococcose cutânea primária em paciente imunocompetente. An Bras Dermatol. 2011;86(6):1178-80.

Correspondência:
Nilton Nasser Rua Curt Hering, 20 3°andar CEP 8901030 - Blumenau-SC E-mail: ninasser.bnu@terra.com.br

 

Resumo

Os autores relatam caso de Criptococcose cutânea primária, causada pelo Cryptococcus neoformans, em paciente imunocompetente, fazendeiro que desenvolveu extensivas lesões, no antebraço, após injúria provocada por galináceo, quando fazia limpeza de seu celeiro. Tratamento oral com fluconazol resultou em cura total. A literatura relata raridade de criptococcose cutânea primária em imunocompetentes e sua relativa frequência em imunodeprimidos.

Palavras-chave: CRIPTOCOCOSE, CRYPTOCOCCUS NEOFORMANS, FLUCONAZOL

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações