Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 87 Número 1




Voltar ao sumário

 

Investigação

Biomembrana vegetal na cicatrização de úlceras venosas crônicas*

The vegetal biomembrane in the healing of chronic venous ulcers *


Marco Andrey Cipriani Frade1, Raimunda Violante Campos de Assis2, Joaquim Coutinho Netto3, Thiago Antônio Moretti de Andrade4, Norma Tiraboschi Foss5

1Doutor (pós-doutorado); professor da Divisão de Dermatologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) – Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência (Faepa) – Ribeirão Preto (SP), Brasil.
2Doutora; professora do Departamento de Patologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Juiz de Fora (MG), Brasil (in memoriam)
3Livre-docente; professor associado do Departamento de Bioquímica e Imunologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) – Ribeirão Preto (SP), Brasil.
4Mestre; doutorando do programa de pós-graduação em Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) – Ribeirão Preto (SP), Brasil.
5Livre-docente; professora associada da Divisão de Dermatologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) – Ribeirão Preto (SP), Brasil.

Recebido em 04.12.2009. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 13.01.2011. * Trabalho realizado no ambulatório da dermatologia de úlceras neurovasculares do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) e na disciplina de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (FM-UFJF) – Ribeirão Preto (SP) e Juiz de Fora (MG), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) – bolsa doutorado para o período 2000/2003; Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (Faepa-HC-FMRP-USP) Como citar este artigo: Frade MAC, Assis RVC, Coutinho-Netto J, Andrade TAM, Foss NT. Biomembrana vegetal na cicatrização de úlceras venosas crônicas. An Bras Dermatol. 2012;87(1):45-51.

Correspondência:
Marco Andrey Cipriani Frade Av. Bandeirantes, 3.900, Bairro Monte Alegre 14049-900 Ribeirão Preto, SP, Brasil Tel.: 55 (16) 3602-2447; fax: 55 (16) 3633-0236 E-mail: mandrey@fmrp.usp.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS: A biomembrana vegetal tem sido usada para tratamento de úlceras cutâneas.
OBJETIVOS: Avaliar a ação da biomembrana vegetal no tratamento de úlceras venosas crônicas, comparando-a ao tratamento à base de colagenase.
MÉTODOS: Foram selecionados 14 pacientes tratados com biomembrana vegetal e sete com Fibrase®(grupo controle), acompanhados clínico-fotograficamente pelo índice de cicatrização das úlceras (ICU) por 120 dias, por meio do software ImageJ, e biopsiados no primeiro e 30º dias para estudo histopatológico.
RESULTADOS: A biomembrana vegetal foi superior em relação ao controle na cicatrização das úlceras no 30º dia, especialmente na fase inflamatória, confirmada pela exsudação abundante e pelo desbridamento. Houve tendência superior à angiogênese seguida de reepitelização com maiores ICUs no 90º e 120º dias.
CONCLUSÃO: A análise conjunta dos achados clínicos e histopatológicos sugere que a biomembrana vegetal atuou como um fator indutor da cicatrização, especialmente na fase inflamatória, confirmada pela exsudação abundante das lesões, promovendo a transformação do microambiente das úlceras venosas crônicas e estimulando a angiogênese e a posterior reepitelização.

Palavras-chave: CICATRIZAÇÃO, CURATIVOS BIOLÓGICOS, LÁTEX, ÚLCERA DE PERNA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações