Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 87 Número 1




Voltar ao sumário

 

Investigação

Práticas de exposição e proteção solar em estudantes do ensino médio de uma cidade do sul do país*

Sun exposure and sun protection habits in high school students from a city south of the country *


Letícia Dupont1, Denise Neves Pereira2

1Médica formada pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) - Canoas (RS), Brasil.
2Doutora em Pediatria pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); neonatologista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (HCPA-UFRGS) e professora voluntária de Neonatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – Florianópolis (SC), Brasil.

Recebido em 17.01.2011. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 02.02.11. * Trabalho realizado na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) – Canoas (RS), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Dupont L, Pereira DN. Práticas de exposição e proteção solar em estudantes do ensino médio de uma cidade do sul do país. An Bras Dermatol. 2012;87(1):90-5.

Correspondência:
Letícia Dupont Rua Rio Branco, 955 Carlos Barbosa, RS E-mail: dupont.leticia@gmail.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: A proteção solar efetiva é uma prática incomum entre os jovens, aumentando a probabilidade de queimaduras solares, insolações e cânceres de pele. Esse fato é mais significativo na Região Sul do Brasil, onde a prevalência da população branca é maior, sendo mais propensa aos danos causados pelo sol.
OBJETIVOS: Estudar as práticas de exposição e proteção solar em estudantes do ensino médio da cidade de Carlos Barbosa, RS.
MÉTODOS: Estudo transversal, envolvendo 775 estudantes matriculados no primeiro semestre de 2010, que tiveram o termo de consentimento assinado. Utilizou-se um questionário não identificável, autoaplicável, com perguntas abordando tópicos relacionados ao tema. Na análise estatística, foram utilizados os testes qui-quadrado ou exato de Fisher e o teste t-Student. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o código 2010-115H.
RESULTADOS: A maioria dos estudantes se expõem ao sol no horário mais crítico, permanecendo expostos por período superior a uma hora. Quinhentos e setenta e seis alunos (74,3%) referiram utilizar protetor solar, mas menos de 10,0% deles o fazem durante todos os meses do ano. As adolescentes são as que mais usam filtro solar (p < 0,001) e permanecem menos tempo expostas ao sol (p < 0,001).
CONCLUSÃO: A maioria dos estudantes de ensino médio de Carlos Barbosa tem hábitos inadequados de exposição e proteção solar, caracterizando comportamento de risco para doenças de pele. A existência de programas públicos de esclarecimento dos riscos à população e o subsídio de produtos para a proteção solar foram sugeridos por esses jovens.

Palavras-chave: ESTUDANTES, PROTETORES DE RAIOS SOLARES, RADIAÇÃO SOLAR, SAÚDE DO ADOLESCENTE

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações