Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

27

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

27

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 87 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Perfil epidemiológico da hanseníase no estado do Piauí, período de 2003 a 2008

Epidemiological Profile of Leprosy in the Brazilian state of Piauí between 2003 and 2008*


Manoel Wilkley Gomes de Sousa1, Darline Carvalho Silva2, Lucianna Rodrigues Carneiro2, Maria Luisa Brito Ferreira Almino1, Ana Lúcia França da Costa3

Correspondência:
Manoel Wilkley Gomes de Sousa SGAN 911 Conjunto F bloco H Apt 122 condominio Green Park Asa norte 70790-110 Brasília - DF Telephone: +55 61 8172 7853 E-mail:wilkleyimp@hotmail.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: A hanseníase é uma doença infecciosa crônica, causada pelo Mycobacterium leprae, sendo considerada um grande problema de saúde pública nos países em desenvolvimento. OBJETIVOS: Objetivou-se estudar o perfil clinicoepidemiológico dos pacientes com hanseníase no período de 2003 a 2008, no estado do Piauí, verificar suas taxas de detecção e de prevalência na população geral e em menores de 15 anos e avaliar as formas clínicas predominantes. MÉTODOS: Os dados foram obtidos a partir da base do Sistema de Informação de Agravos de Notificação da Secretaria de Saúde do estado do Piauí, sendo as informações procedentes dos prontuários médicos, organizadas em um questionário específico. RESULTADOS: Do total de 12.238 casos de hanseníase notificados no período em questão, 85% eram casos novos (taxa de detecção geral anual média de 54 casos/100.000 habitantes e em menores de 15 anos de 15,3/100.000 habitantes); 52,18 % eram homens, 64,66 % dos pacientes encontravam-se na faixa etária de 20 a 59 anos e 53,53 % apresentavam a forma paucibacilar. No entanto, 88,82% das formas paucibacilares apresentavam mais de cinco lesões e 10,55 % das formas multibacilares não tinham qualquer lesão. Mais de 20% dos pacientes tinham algum grau de incapacidade. CONCLUSÃO: Conclui-se que estes indicadores apontam para uma elevada circulação do bacilo na comunidade e a grande dificuldade que a rede básica apresenta de se organizar de forma a diagnosticar correta e precocemente os casos desta complexa doença.

Palavras-chave: HANSENÍASE, NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS, SISTEMAS DE SAÚDE, VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações