Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 87 Número 3




Voltar ao sumário

 

Artigo de revisão

Reação a drogas com eosinofilia e sintomas sistêmicos (DRESS) / Síndrome da hipersensibilidade induzida por droga (DIHS): revisão dos conceitos atuais

Drug Reaction with Eosinophilia and Systemic Symptoms (DRESS) / Drug-Induced Hypersensitivity Syndrome (DIHS): a review of current concepts*


Paulo Ricardo Criado1, Roberta Fachini Jardim Criado2, João de Magalhães Avancini3, Claudia Giuli Santi4

Correspondência:
João de Magalhães Avancini Ferreira Alves Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255, 3º andar Cerqueira César 05403-900 São Paulo, SP Tel.: (11) 3088-4894 / 3062-5069 Fax: (11) 3088-9145 E-mail: avancini.joao@gmail.com

 

Resumo

A síndrome Reação a Drogas com Eosinofilia e Sintomas Sistêmicos, também conhecida como Síndrome da Hipersensibilidade Induzida por Droga apresenta-se clinicamente como uma erupção cutâneomucosa extensa tipo exantemática, associada a febre, linfadenopatia, hepatite, anormalidades hematológicas com eosinofilia e linfócitos atípicos, e pode envolver outros órgãos, produzindo insuficiência renal, infiltrado eosinofílico cardíaco e pulmonar, além de pancreatite. O reconhecimento desta síndrome é de suma importância, uma vez que, a taxa de mortalidade é de cerca de 10% a 20% e uma terapia específica pode ser necessária. Sua etiopatogenia está relacionada a drogas específicas, principalmente os anticonvulsivantes aromáticos, alterações imunes, reativação sequencial de herpesvirus e associação com alelos do HLA. O pronto reconhecimento da síndrome e a retirada da droga desencadeante são os passos mais importantes e essenciais no tratamento dos doentes acometidos. Os corticosteróides são as medicações de escolha para o tratamento da síndrome, podendo ser associados imunoglobulina intravenosa e em, alguns casos selecionados, Ganciclovir. O artigo traz uma revisão dos conceitos atuais que envolvem essa importante manifestação de reação adversa a drogas.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações