Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

27

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

27

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 87 Número 3




Voltar ao sumário

 

Qual é seu diagnóstico ?

Caso para diagnóstico

Case for diagnosis


Sheila Viana Castelo Branco Gonçalves1, Neusa Yuriko Sakai Valente2, José Vitor de Oliveira Junior3, Daniele Loureiro Mangueira Paiva4

Recebido em 24.05.2011. Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 20.08.2011. * Trabalho realizado no Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE) – Moema, São Paulo (SP), Brasil. Conflito de interesse: Nenhum Suporte financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Gonçalves SVCB, Valente NYS, Oliveira Jr JV, Paiva DLM. Caso para diagnóstico. Poroceratose linear na área genital - Relato de caso. An Bras Dermatol. 2012;87(3):491-2.

Correspondência:
Sheila Viana Castelo Branco Gonçalves Avenida Ibirapuera, 981, Moema 04029-000 São Paulo, SP, Brazil E-mail: sheilacastelo@hotmail.com

 

Resumo

A poroceratose é uma desordem primária de queratinização, de etiologia desconhecida. Apresenta-se com lesões eritemato-acastanhadas com crista periférica e centro normal ou atrófico, e está associada ao achado anatomopatológico de lamela cornoide. O envolvimento genital nessa doença é extremamente raro. Não mais que trinta casos têm sido descritos na literatura, sendo um desses casos de poroceratose linear localizado na área genital. Descrevemos um caso de poroceratose linear genital tratado com crioterapia. Durante dois anos de seguimento, houve melhora do aspecto das lesões, sem recorrência ou sinais de transformação maligna. Entretanto, um acompanhamento a longo prazo se faz necessário.

Palavras-chave: CRIOTERAPIA, GENITÁLIA, GENITÁLIA MASCULINA, POROCERATOSE

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações