Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 87 Número 5




Voltar ao sumário

 

Qual é seu diagnóstico ?

Caso para diagnóstico

Case for diagnosis


Felipe Maurício Soeiro Sampaio1, Fabrício Tinoco Lourenço1, Daniel Lago Obadia2, Leninha Valério do Nascimento3

1Pós-graduando do Serviço de Dermatologia Tropical do Hospital Central do Exército (HCE) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
2Professor auxiliar de Dermatologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Hupe-Uerj) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil
3Coordenadora do curso de pós-graduação em Dermatologia do Serviço de Dermatologia Tropical do Hospital Central do Exército (HCE) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Recebido em 10.11.2011. Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 08.12.2011. * Trabalho realizado no Hospital Central do Exército (HCE) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil. Suporte Financeiro: Nenhum / Financial funding: None Conflito Interesses: Nenhum / Conflict of interest: None Como citar este artigo/How to cite this arti cle: Sampaio FMS, Lourenço FT, Obadia DL, Nascimento LV. Caso para diagnóstico. Pápula solitária na coxa: diagnóstico incomum. An Bras Dermatol. 2012;87(5):789-90.

Correspondência:
MAILING ADDRESS / ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA: Felipe Maurício Soeiro Sampaio Rua Francisco Manoel, 126 20911-270 - Benfica. Rio de Janeiro, RJ E-mail: felipemauricio@uol.com.br

 

Resumo

Paciente do sexo masculino, 28 anos, com surgimento de pápula eritemato-amarelada na coxa direita, assintomática. Foi realizado biópsia excisional da lesão para exame histopatológico, tendo sido observado células gigantes multinucleares do tipo Touton e imunohistoquimica com CD1a e S100 negativos e CD4 e CD68 positivos. Pelos achados clinicohistopatológicos associados a imunohistoquimica concluímos ser um caso de xantogranuloma do tipo adulto. Por ter sido uma lesão solitária sem outros sinais e sintomas clínicos, a conduta adotada foi orientação quanto a doença.

Palavras-chave: HISTIOCITOSE, HISTIOCITOSE DE CÉLULAS NÃO LANGERHANS, XANTOGRANULOMA JUVENIL

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações