Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 87 Número 6




Voltar ao sumário

 

Imagens em Dermatologia

Pistas dermatoscópicas no diagnóstico de melanoma maligno amelanótico e hipomelanótico

Dermoscopic clues in the diagnosis of amelanotic and hypomelanotic malignant melanoma *


Carolina Degeon Meotti1, Mariana Silveira Ferreira2, Louise Lovatto3, André Vicente Esteves de Carvalho4, Carlos Gustavo Carneiro de Castro5

1Médica Dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Porto Alegre (RS), Brasil.
2Estudante de medicina. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Porto Alegre (RS), Brasil.
3Mestre em Ciências Médicas Clínica, Universidade de Barcelona, Espanha. - Dermatologista na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (ISCMPA) – Porto Alegre (RS), Brasil.
4Mestrado em Patologia – Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) - Porto Alegre (RS), Brasil. – Preceptor de Dermatologia na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (ISCMPA) – Porto Alegre (RS), Brasil.
5Médico Dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Correspondência:
MAILING ADDRESS: Raquel Bissacotti Steglich Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre Rua Professor Annes Dias, 295. 90020-090 - Porto Alegre, RS E-mail: raquelsteglich@yahoo.com.br

 

Resumo

A identificação clínica de melanoma maligno amelanótico e hipomelanótico torna-se difícil devido à falta de pigmentação e às diversas apresentações desse tipo de tumor. A dermatoscopia é muito útil nestes casos, aumentando o grau de suspeição de malignidade. Relatamos 4 casos de melanoma maligno amelanótico e melanoma maligno hipomelanótico com achados dermatoscópicos característicos. A dermatoscopia com luz polarizada demonstra polimorfismo vascular, glóbulos e áreas vermelholeitosas, assim como crisálides e múltiplos pontos azul-acinzentados.

Palavras-chave: DERMOSCOPIA, DIAGNÓSTICO, DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL, MELANOMA, MELANOMA AMELANÓTICO

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações