Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Identificação de espécies fúngicas nas onicomicoses do idoso institucionalizado*

Identification of fungi species in the onychomycosis of institutionalized elderly


Cidia Vasconcellos1, Carolina Queiroz Moreira Pereira2, Marta Cristina Souza3, Andrea Pelegrini4, Roseli Santos Freitas5, Juliana Possato Takahashi6

1Pós-doutorado - Professora da pós-graduação da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (IAMSPE) e da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) – São Paulo (SP), Brasil.
2Mestre pelo programa de pós graduação em Ciências da Saúde do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) – São Paulo (SP), Brasil.
3PhD pelo programa de Microbiologia e Imunologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Medicina Diagnóstica Fleury – São Paulo (SP), Brasil.
4Bacharelado e Mestrado pelo Departamento de Infectologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Medicina Diagnóstica Fleury – São Paulo (SP), Brasil.
5Biólogo com Bacharelado e Mestrado em Fisiologia - Tecnico do Laboratorio de Micologia do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo - Universidade de São Paulo (USP) – São Paulo (SP), Brasil.
6Bacharelado e Mestrado em Microbiologia Aplicada pela Universidade Estadual de São Paulo (UNESP). Medicina Diagnóstica Fleury – São Paulo (SP), Brasil.

Recebido em 22.05.2012 Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 06.08.2012. * Trabalho realizado no Laboratório de Micologia Médica do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (SP), Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo e Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) – São Paulo (SP), Brasil. Conflito Interesses: Nenhum Suporte Financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Vasconcellos C, Pereira CQM, Souza MC, Pelegrini A, Freitas RS, Takahashi JP. Identificação de espécies fúngicas nas onicomicose do idoso institucionalizado. An Bras Dermatol. 2013;88(3):382-5.

Correspondência:
Cidia Vasconcellos Rua Campevas, 639 05016-010 - São Paulo - SP Brasil E-mail: cidiav@ig.com.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS: As infecções fúngicas superficiais se correlacionam com o agente etiológico, a resposta imune do hospedeiro, o local da lesão e o tecido lesado, sendo causadas por dermatófitos, leveduras ou fungos filamentosos. OBJETIVO: O objetivo é isolar e identificar os agentes das onicomicoses em idosos institucionalizados. MÉTODO: A identificação dos fungos baseou-se nos resultados combinados do exame micológico, isolamento em cultura e da observação de microculturas sob microscopia de luz, do material subungueal e escamas interdigitais, coletado de 35 idosos com suspeita clínica de onicomicose e de um grupo controle (9 idosos com espaço interdigital e unhas saudáveis). Ambos os grupos eram institucionalizados em duas casas de assistência em São Bernardo do Campo, SP, Brasil. RESULTADOS: As unhas raspadas apresentaram 51,40% de positividade. Os dermatófitos foram encontrados em 44,40% de isolados, sendo 27,78% identificados como Trichophyton rubrum e 5,56%, cada, como Trichophyton tonsurans, Trichophyton mentagrophytes e Microsporum gypseum. O segundo grupo mais frequente (38,89%) foi o de leveduras, identificadas como 16,67% Candida guilliermondii, 11,11% Candida parapsilosis, 5,56% Candida glabrata e 5,56% Trichosporon asahii. Um terceiro grupo exibia 16,70% fungos filamentosos, como Fusarium sp, Aspergillus sp e Neoscytalidium (5,56% de cada). Os raspados interdigitais exibiram positividade de 14,29%. Os agentes foram coincidentes com os fungos que causaram a onicomicose. No grupo controle, a Candida guilliermondii foi identificada no espaço interdigital em apenas uma pessoa. CONCLUSÃO: Empregando-se a combinação destes métodos de identificação, não houve diferença entre a etiologia da onicomicose dos idosos institucionalizados daquela relatada na literatura para a população em geral.

Palavras-chave: ARTHRODERMATACEAE, FUNGOS, ONICOMICOSE, SAÚDE DO IDOSO INSTITUCIONALIZADO

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações