Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 3




Voltar ao sumário

 

Dermatopatologia

Melanoma cartilagíneo: caso clínico e revisão da literatura

Cartilaginous melanoma: case report and review of the literature*


Joana Devesa Parente1, José Manuel Pereira da Silva Labareda2, Elvira Augusta Felgueira Leonardo Fernandes Bártolo3, Maria Fernanda Sachse Pinto Fonseca Santos4, Esmeralda Maria Seco do Vale5

1MD - Department of Dermatology, Santarém District Hospital, EPE (HDS) – Santarém, Portugal
2MD - Department of Dermatology, Lisbon Medical-Surgery Dermatology Departrment – Lisbon, Portugal.
3MD - Department of Dermatology, Hospital Garcia de Orta, EPE (HGO) – Almada, Portugal.
4MD - Department of Dermatology, Francisco Gentil Lisbon Portuguese Institute of Oncology (IPOLFG) – Lisbon, Portugal.
5MD - Department of Dermatopathology, Lisbon Medical-Surgery Dermatology Department – Lisbon, Portugal.

Correspondência:
Joana Devesa Parente Avenida Bernardo Santareno Apartado, 115 2000-153 - Santarém - Portugal E-mail: parentejoana81@hotmail.com

 

Resumo

O melanoma maligno pode apresentar uma grande variedade de padrões histopatológicos. A presença de diferenciação cartilagínea, na ausência de diferenciação osteogénica, é extremamente rara no melanoma maligno. O melanoma cartilagíneo está entre os padrões histológicos menos frequentes. Relatamos um caso de uma doente do sexo feminino de 47 anos de idade com um nódulo subungueal no 1º dedo do pé direito com muitos anos de evolução. O exame histopatológico da lesão revelou melanoma cartilagíneo, sem áreas de diferenciação osteogénica. Esta variante de melanoma parece ter predileção pela extremidades, sobretudo pela região subungueal. Assim, o melanoma maligno com diferenciação condróide, deve ser tido em consideração no diagnóstico diferencial de lesões acrais cartilagíneas. A observação cuidadosa da epiderme e a identificação de um componente do melanoma in situ podem ser necessários para estabelecer um diagnóstico correto.

Palavras-chave: CARTILAGEM, MELANOMA, DEDOS DO PÉ

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações