Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 3




Voltar ao sumário

 

Síndrome em Questão

Você conhece esta síndrome?*

Do you know this syndrome?


Laura Maria Andrade Silveira1, Andréia Nogueira Ramos2, Isadora Rosado do Amaral1, Vitoria Regina Pedreira de Almeida Rêgo3

1Médica – Médica-residente de Dermatologia no Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgar Santos da Universidade Federal da Bahia (COM HUPESUFBA) – Salvador (BA), Brasil.
2Dermatologista - Clínica privada – São Paulo (SP), Brasil.
3Mestre – Mestre pela Universidade Federal da Bahia. Chefe do Serviço de Dermatologia no Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgar Santos da Universidade Federal da Bahia (COM HUPES-UFBA). Professora da Faculdade de Medicina da Bahia (FAMEB-UFBA) – Salvador (BA), Brasil.

Recebido em 03.07.2012. Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 23.07.2012. * Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia do Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgar Santos da Universidade Federal da Bahia (COM HUPES-UFBA) – Salvador (BA), Brasil. Conflito Interesses: Nenhum Suporte Financeiro: Nenhum Como citar este artigo: Silveira LMA, Ramos AN, Amaral IR, Rêgo VRPA. Você conhece esta síndrome? Hipertricose lanuginosa congênita. An Bras Dermatol. 2013;88(3):479-81.

Correspondência:
Laura Maria Andrade Silveira Ambulatório Magalhães Neto Rua Padre Feijó, 240/3º andar Canela 40110-170 Salvador, BA. Brasil E-mail: lauraandrade18@hotmail.com

 

Resumo

A hipertricose Lanugionsa Congênita é uma desordem genética rara, autossômica dominante, com menos de 50 casos descritos na literatura. É caracterizada por pêlo lanugo excessivo, poupando apenas membranas mucosas, palmas e plantas. Pode estar associada a outras anormalidades orgânicas, devendo ser de conhecimento do dermatologista. Discutiremos aspectos da síndrome em questão a partir do relato de caso de uma paciente do sexo feminino, negra, 02 anos, com apresentação clínica clássica, sem outras anormalidades congênitas associadas.

Palavras-chave: ANORMALIDADES CONGÊNITAS, HIPERTRICOSE, LASERS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações