Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 4




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Carcinoma de mama em couraça - Relato de caso*

Breast carcinoma en Cuirasse - Case report


Gabriela Mantovanelli de Oliveira1, Daniele Bueno Carvalho Zachetti1, Hugo Rocha Barros1, Adriana Tiengo1, Ney Romiti2

1Estagiário(a) de Dermatologia da Fundação Lusíada (Unilus) – Santos (SP), Brasil.
2Professor da disciplina de Dermatologia da Fundação Lusíada (Unilus) – Santos (SP), Brasil.

Recebido em 12.06.2012. Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 31.07.2012. * Trabalho realizado no Centro Universitário Fundação Lusíada (Unilus) – Santos (SP), Brasil. Suporte Financeiro: Nenhum. / Financial Support: None. Conflito Interesses: Nenhum. / Conflict of Interests: None. Como citar este artigo/How to cite this article: Oliveira GM, zachetti DBC, Barros HR, Tiengo A, Romiti N. Carcinoma de mama em couraça – Relato de caso. An Bras Dermatol. 2013;88(4):619-21.

Correspondência:
ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA / MAILING ADDRESS: Daniele Bueno Carvalho Zachetti Rua Américo Brasiliense, 395 - Centro 18185-000 - Pilar do Sul - SP Brasil E-mail: danifcms@hotmail.com

 

Resumo

A metástase cutânea é conseqüente à disseminação do tumor por embolização linfática, vascular, implantação direta durante cirurgias ou envolvimento da pele por contiguidade. Em mulheres, o tumor maligno primário que mais comumente metastatiza para a pele é o de mama, que tanto pode se expressar por lesões tumorais papulonodulares, infiltração erisipelóide ou esclerodermiforme, em couraça. Relatamos o caso de paciente do sexo feminino, 78 anos, apresentando lesões nodulares, descamativas e confluentes em mama direita, evoluindo com edema e infiltração cutânea, com redução do volume mamário e placa endurecida ilimitada. Invasão da mama contralateral e abdome ocorreram 4 meses após o início dos sinais. O diagnóstico histopatológico foi de adenocarcinoma ductal invasivo de mama com focos pagetóides epidérmicos e embolização linfática.

Palavras-chave: CARCINOMA DUCTAL DE MAMA, METÁSTASE NEOPLÁSICA, PELE

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações