Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 4




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Hidroa vaciniforme extensa*

Extensive hydroa vacciniforme


Hiram Larangeira de Almeida Jr.1, Debora Sarzi Sartori2, Janaína Kopp3, Carolina Dahmer Velloso3, Valeria Magalhães Jorge4

1Livre-docente – Professor-assistente - Universidade Federal de Pelotas (UFPel) – Pelotas (RS), Brasil.
2Residente de Medicina Interna. Internista. Universidade Federal de Pelotas (UFPel) – Pelotas (RS), Brasil.
3Graduandas - Universidade Federal de Pelotas (UFPel) – Pelotas (RS), Brasil.
4Mestre em Saúde e Comportamento - Professora de Patologia - Universidade Federal de Pelotas (UFPel) – Pelotas (RS), Brasil.

Recebido em 10.05.2012. Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 01.08.2012. * Trabalho realizado na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) – Pelotas (RS), Brasil. Suporte Financeiro: Nenhum. / Financial Support: None. Conflito Interesses: Nenhum. / Conflict of Interests: None. Como citar este artigo/How to cite this article: Almeida HL Jr, Sartori DS, Kopp J, Velloso CD, Jorge VM. Hidroa vaciniforme extensa. An Bras Dermatol. 2013;88(4):631-3.

Correspondência:
ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA / MAILING ADDRESS: Hiram Larangeira de Almeida Jr. Av. Duque de Caxias, 250 96030-000 - Pelotas - RS Brasil E-mail: hiramalmeidajr@hotmail.com

 

Resumo

O Hidroa Vaciniforme é uma fotodermatose muito rara vista geralmente na infância. Uma paciente de 18 anos foi examinada, a qual apresenta lesões vesiculosas e necróticas varioliformes nas áreas fotoexpostas, desde os 5 anos de idade, que evoluem para cicatrizes atróficas, piorando no verão. A microscopia óptica mostrou necrose epidérmica com infiltrado linfocítico. Houve pouca melhora com uso de filtros solares.

Palavras-chave: HIDROA VACINIFORME, NECROSE, TRANSTORNOS DE FOTOSSENSIBILIDADE

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações