Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

20

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

20

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 5




Voltar ao sumário

 

Iconografia

Queimadura da polpa digital e da ponta nasal em usuário de crack*

Fingertip and nasal tip thermal burn in crack cocaine user*


Fred Bernardes Filho1; Ystannyslau Bernardes da Silva2; Luiz Gustavo Martins3; Letícia Soares Sasso4; Marilda Aparecida Milanez Morgado de Abreu5

1. Pós-graduando de Dermatologia no Instituto de Dermatologia Professor Rubem David Azulay - Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro (RJ), Brasil
2. Pós-graduando de Cardiologia Intervencionista e Hemodinâmica no Hospital São Francisco Saúde de Ribeirão Preto - Ribeirão Preto (SP), Brasil
3. Dermatologista - Clínica privada - Ituiutaba (MG), Brasil
4. Especialista em Oftalmologia, Serviço de Oftalmologia do Hospital Regional de Presidente Prudente - Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) - Presidente Prudente (SP), Brasil
5. Doutora em Dermatologia - Chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital Regional de Presidente Prudente - Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) - Presidente Prudente (SP), Brasil

Recebido em 25.05.2013.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 17.07.2013.
Suporte Financeiro: Nenhum. / Financial Support: None.
Conflito Interesses: Nenhum. / Conflict of Interests: None.
Como citar este artigo: Bernardes-Filho F, Bernardes-da-Silva Y, Martins LG, Sasso LS, Morgado de Abreu MAM. Queimadura da polpa digital e da ponta nasal em usuário de crack. An Bras Dermatol. 2013;88(5):855-7.

Correspondência:
Fred Bernardes Filho
Rua Marquês de Caxias, 9 Sobrado - Centro
24030-050 - Niterói - RJ Brasil
E-mail: f9filho@gmail.com

 

Resumo

A dependência química do crack é um problema de saúde pública no Brasil. Trata-se de uma endemia que afeta a zona rural e a zona urbana. O Ministério da Saúde lançou programas emergenciais para o tratamento dos dependentes e o combate ao tráfico de drogas. Reconhecer os sinais dermatológicos iniciais desta doença é importante, pois através deles, pode-se suspeitar do diagnóstico e então proporcionar ao paciente o tratamento precoce.

Palavras-chave: Cocaína crack; Dermatoses da mão; Toxicidade de drogas; Transtornos relacionados ao uso de cocaína

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações