Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Prognóstico de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico e lesões discóides*

Prognosis of patients with systemic lupus erythematosus and discoid lesions*


Thelma Larocca Skare1; Bárbara Stadler2; Emilio Weingraber2; Diogo F. De Paula2

1. Doutora; professora titular do curso de Medicina da Faculdade Evangélica do Paraná (Fepar) - Curitiba (PR), Brasil
2. Residentes do Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba (Huec) - Curitiba (PR), Brasil

Recebido em 04.08.2012.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 21.10.2012.
Suporte Financeiro: Nenhum. / Financial Support: None.
Conflito Interesses: Nenhum. / Conflict of Interests: None.
Como citar este artigo/How to cite this article: Skare TL, Stadler B, Weingraber E, Paula DF. Prognóstico de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico e lesões discoides. An Bras Dermatol. 2013;88(5):757-60.

Correspondência:

Thelma Larocca Skare
Centro médico HUEC
Rua Sete de Setembro, 4713
80240 000 - Curitiba - PR Brasil
E-mail: tskare@onda.com.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS: Existe a observação de que pacientes com lúpus eritematoso sistêmico e lesões discoides têm uma doença sistêmica mais branda.
OBJETIVO: Comparar o perfil clínico, demográfico e de autoanticorpos de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico com e sem lesões discoides.
MÉTODOS: Estudo retrospectivo de 288 pacientes com lúpus eritematoso sistêmico que satisfizeram pelo menos 4 critérios classificatórios do Colégio Americano de Reumatologia para o diagnóstico de lúpus eritematoso sistêmico, comparando-se os achados clínicos, sorológicos e demográficos entre pacientes com e sem manifestações discoides.
RESULTADOS: Dos 288 pacientes, 13,8% tinham lesões discoides. Na análise univariada não se encontraram diferenças quanto à prevalência de eritema malar, fotossensibilidade, artrite, serosite, leucopenia, linfopenia e anemia hemolítica ou de sistema nervoso central (p=ns). Lesões renais foram mais comuns naqueles sem lesão discoide (p =0,016), e a hemólise (p<0.0001) foi mais comum nos com lesão discoide. No que se refere ao perfil de autoanticorpos apenas o anticorpo anti-RNP foi mais comum naqueles com manifestações discoides (p=0,04). Em estudo por regressão logística, só as lesões renais e o anticorpo anti-RNP mantiveram suas associações com manifestações discoides.
CONCLUSÃO: Pacientes de lúpus eritematoso sistêmico com lesões discoides têm menor prevalência de envolvimento renal e uma maior presença do anticorpo anti RNP.

Palavras-chave: Glomerulonefrite; Lupus eritematoso cutâneo; Lupus eritematoso discóide; Lúpus eritematoso sistêmico

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações