Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Último dia para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Último dia para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 5




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Relato de um caso de sarcoma histiocítico cutâneo: dilemas diagnósticos e terapêuticos*

Case report of cutaneous histiocytic sarcoma: diagnostic and therapeutic dilemmas*


Flávia Trevisan1; Celia Antonia Xavier2; Clovis Antonio Lopes Pinto3; Fernanda Gomes Cattete1; Fabíola Schauffler Stock1; Marcella Ledo Martins1

1. Médica residente de Dermatologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ) - Jundiaí (SP), Brasil
2. Mestre; professora adjunta de Dermatologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ) - Jundiaí (SP), Brasil
3. Doutor; professor adjunto de Anatomia Patológica da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ) - Jundiaí (SP), Brasil

Recebido em 17.08.2012.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 24.09.2012.
Suporte Financeiro: Nenhum. / Financial Support: None.
Conflito Interesses: Nenhum. / Conflict of Interests: None.
Como citar este artigo: Trevisan F, Xavier CA, Pinto CAL, Cattete FG, Stock FS, Martins ML. Relato de um caso de sarcoma histiocítico cutâneo: dilemas diagnósticos e terapêuticos. An Bras Dermatol. 2013;88(5):812-5.

Correspondência:
Flávia Trevisan
Rua Francisco Telles, 250 - Vila Arens
13202-250 - Jundiaí - SP Brasil
E-mail: flaviatrevisan1@yahoo.com.br

 

Resumo

Sarcoma histiocítico é uma rara entidade neoplásica maligna hematológica originada de clones celulares dendríticos ou histiocitários. As lesões podem ser nodais ou extranodais, mais comumente no trato gastrintestinal. Um pequeno número de casos apresenta lesões cutâneas exclusivas. O diagnóstico definitivo é feito pela positividade dos marcadores imunohistoquímicos CD163, CD68, CD4 e lisozima. O tratamento é controverso, geralmente com quimioterapia combinada sistêmica. Este é um caso de sarcoma histiocítico cutâneo em uma paciente de 82 anos apresentando duas lesões nodulares na mama e braço direitos, tratadas com exérese simples e seguimento multidisciplinar, evitando-se condutas intempestivas e investigações exaustivas. Apesar de a maioria dos estudos relatar evolução agressiva, a paciente apresenta quadro clínico bom e estável no período de doze meses de seguimento.

Palavras-chave: Imunoistoquímica; Resultado de tratamento; Sarcoma; Sarcoma histiocítico; Terapêutica; Transtornos histiocíticos malignos

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações