Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 88 Número 6 S1




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Granuloma facial: uma doença rara sob uma perspectiva dermatoscópica*

Granuloma faciale: a rare disease from a dermoscopy perspective*


Danilo Augusto Teixeira1; Bruna Estrozi2; Mayra Ianhez3

1. Médico-residente em Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (UFG) - Goiânia (GO), Brasil
2. Médica patologista - Patologista da Consultoria em Patologia - Botucatu (SP), Brasil
3. Mestre em Dermatologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Professora-assistente de Dermatologia da Universidade Federal de Goiás (UFG) - Goiânia (GO), Brasil

Recebido em 20.12.2012.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 21.02.2013.
Suporte Financeiro: Nenhum / Financial Support: None.
Conflito Interesses: Nenhum / Conflict of Interests: None.
Como citar este artigo/How to cite this article: Teixeira DA, Estrozi B, Ianhez M. Granuloma facial: uma doença rara sob uma perspectiva dermatoscópica. An Bras Dermatol. 2013;88(6 Supl 1):S97-100.

Correspondência:
Danilo Augusto Teixeira
Rua C 154, Quadra 326, Lote 5 n 45- Jardim América
74275-140 - Goiânia - GO Brasil
E-mail: danilodermato@yahoo.com.br

 

Resumo

O granuloma facial é doença cutânea rara e benigna, de etiologia desconhecida, caracterizado por vasculite leucocitoclástica crônica. Caracteriza-se por lesões cutâneas predominantemente faciais, tem curso crônico e lentamente progressivo. O diagnóstico é baseado na clínica, histopatologia e, mais recentemente, na dermatoscopia. Relatamos o quadro de um paciente masculino, 40 anos de idade, com lesão sarcoídea na face malar, cujo exame histopatológico revelou infiltrado inflamatório misto com presença de zona de Grenz. A dermatoscopia revelou um fundo rosado com estrias brancas. O diagnóstico definitivo é feito pela avaliação histopatológica, sendo que a dermatoscopia pode ser útil. É conhecida por ser resistente à terapêutica, sendo propostas medicações orais, intralesionais e procedimentos cirúrgicos.

Palavras-chave: Dermatoses faciais; Dermoscopia; Diagnóstico; Diagnóstico diferencial; Granuloma eosinófilo; Patologia

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações