Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

10

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

10

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 75 Número 2




Voltar ao sumário

 

Investigação

Incidência de dermatofitoses e candidoses em pacientes HIV soropositivos

Incidence of dermatophytosis and candidosis in HIV positive patients


CLÁUDIA KAZUYA YAMADA1, ELOÍSA BOHNENSTENGEL1, ANGELA VALÉRIA TOZZI DE OLIVEIRA MENDES2, VÂNIA PENHA GUERRA SABONGI2, MARIA DO CARMO A. M. MEIRA3

1Acadêmica de Medicina, Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Sorocaba - PUC/SP
2Médica Dermatologista voluntária, Ambulatório de AIDS – Dermatologia/Moléstias Infecciosas, Conjunto Hospitalar de Sorocaba – SP
3Bióloga Assistente; Técnica de Pesquisa Científica, Instituto Adolfo Lutz – SP

Recebido em 11.01.99. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 25.02.00. Trabalho realizado no Ambulatório de Dermatologia-AIDS, Conjunto Hospitalar de Sorocaba / PUC - SP.

Correspondência:
Eloísa Bohnenstengel Rua Moema, 75 Osasco SP 06028-280 Tel/Fax: (11) 7081-9995

 

Resumo

*Fundamentos:* Freqüentemente pacientes HIV soropositivos têm micoses superficiais em qualquer estágio da AIDS. *Objetivos:* Traçar um perfil da população HIV soropositiva quanto à freqüência dessa dermatose, faixa etária acometida, a características clínicas e agentes etiológicos. *Casuística e Métodos:* Foram avaliados pacientes com quadro clínico de micoses superficiais, sendo colhidas amostras de pele/unhas a fim de serem submetidas à pesquisa laboratorial mediante exame micológico direto após clareamento com potassa a 20%. A seguir, procedeu-se ao cultivo em ágar-Sabouraud e microcultivo em ágar-fubá (leveduras) ou ágar-batata (dermatófitos). *Resultados:* Dos 32 pacientes avaliados, com micoses superficiais, a pesquisa laboratorial resultou positiva em 58% dos casos. Os fungos mais encontrados foram a Candida sp (32%) e o Tricophyton mentagrophytes (32%). A faixa etária mais acometida foi a de 20 a 35 anos. *Conclusão:* A pequena amostra dos autores concorda com a literatura ao observar a Candida como o agente fúngico mais freqüente em pacientes HIV soropositivos. Lesões ungueais foram as mais observadas. O dermatófito mais comum foi o Tricophyton mentagrophytes, enquanto a literatura aponta o Tricophyton rubrum. Devido às conseqüências fisiopatológicas, elevando a morbidade em pacientes com AIDS, ressalta-se a importância de micoses superficiais nesses pacientes.

Palavras-chave: PACIENTES HIV SOROPOSITIVOS., AIDS, DERMATOFITOSES, CANDIDÍASE

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações