Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

32

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

32

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 89 Número 4




Voltar ao sumário

 

Investigação

Dermatoses do esporte em praticantes de corrida de rua do sul do Brasil*

Sports-related dermatoses among road runners in Southern Brazil*


Kátia Sheylla Malta Purim1; Neiva Leite2

1. Universidade Positivo (UP) - Curitiba (PR), Brasil
2. Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Curitiba (PR), Brasil

Recebido em 19.05.2013.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 03.10.2013.
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Purim KSM, Leite N. Dermatoses do esporte em praticantes de corrida de rua do sul do Brasil. An Bras Dermatol. 2014;89(4):587-93.

Correspondência:

Kátia Sheylla Malta Purim
Universidade Positivo - Curso de Medicina
Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 Campo Comprido
81280-330 - Curitiba - PR Brasil
E-mail: kspurim@gmail.com

 

Resumo

FUNDAMENTOS: Corrida de rua é esporte em expansão.
OBJETIVOS: Verificar prevalência de dermatoses relacionadas ao esporte em atletas de corrida de rua.
MÉTODOS: Estudo transversal de 76 atletas de corrida de rua com questionário, entrevista e observação clínica. Análise pelo teste Qui quadrado e teste de tendência linear.
RESULTADOS: Predominaram homens (61%) na faixa etária de 38+11 anos, que corriam média ou longa distância (60,5%), durante 45 a 60 minutos (79%), com percursos semanais de 25 a 64 km (42,1%) ou mais de 65 km (18,4%). Lesões prevalentes: bolhas (50%), assaduras (42,1%), calos (34,2%), onicomadese (31,5%), tinea pedis (18,4%), onicocriptose (14,5%) e rachadura nos lábios (14,5%). Naqueles corredores que percorriam acima de 64 km semanais, foram frequentes calos (p<0,04), lesões no mamilo (p<0,004), rachaduras labiais (p<0,05) e tinea pedis (p<0,004). Houve associação significativa entre a distância percorrida semanalmente e a probabilidade de injúria cutânea. Destes atletas, 57% treinam antes das 10 horas da manhã, 86% fazem uso de roupas e acessórios para proteção solar, 62% usam filtro solar e 19,7% tiveram queimaduras solares. Dermatoses traumáticas e ambientais são comuns nos adeptos deste esporte ao ar livre e são influenciadas pela quilometragem semanal percorrida.
CONCLUSÃO: Neste grupo de atletas, assaduras, bolhas, distúrbios ungueais e queimaduras solares foram recorrentes em todos os percursos. Calos, tinea pedis, rachaduras labiais e "mamilo do corredor" predominaram em indivíduos com percursos maiores.

Palavras-chave: Atletas; Qualidade de vida; Corrida; Dermatologia.

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações