Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

32

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

32

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 89 Número 4




Voltar ao sumário

 

Qual é seu diagnóstico ?

Caso para diagnóstico*

Case for diagnosis*


Andréa Buosi Fabre1; Paola C. Vieira da Rosa Passos1; Brunno Zeni de Lima1; Lincoln Fabricio1; José Fillus Neto1; Aguinaldo Bonalumi Filho2

1 Faculdade Evangélica do Paraná (FEPAR) - Curitiba (PR), Brasil
2. Instituto de Dermatologia Professor Rubem David Azulay da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro (IDPRDA - SCMRJ) - Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Recebido em 18.05.2013.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 16.09.2013.
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Fabre AB, Passos PCVR, Lima BZ, Fabricio L, Fillus Neto J, Bonalumi Filho A. Caso para diagnóstico. Hiperplasia endotelial papilar intravascular do couro cabeludo: relato de caso e revisão. An Bras Dermatol. 2014;89(4):677-8.

Correspondência:

Andréa Buosi Fabre
Alameda Augusto Stellfeld, 1908 - Bigorrilho
80730-150 - Curitiba - PR Brasil
E-mail: andrea_bf@hotmail.com

 

Resumo

A hiperplasia endotelial papilar intravascular é uma lesão vascular benigna, causada por proliferação do endotélio, reativa a processo trombótico ou inflamatório no vaso. Descreve-se o caso de paciente do sexo masculino, 14 anos, com tumor eritêmato-violáceo em região occipital, com crescimento progressivo. Realizada exérese da lesão, com diagnóstico histopatológico e imuno-histoquímico de hiperplasia endotelial papilar intravascular e sem recorrência até o momento. Esta desordem apresenta importância clínica pela semelhança clínica e histológica com o angiossarcoma. Deve-se procurar por critérios de benignidade, como ausência de atipias e poucas mitoses. Como se trata de entidade benigna, o prognóstico é bom.

Palavras-chave: Couro cabeludo; Neoplasias vasculares; Patologia

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações