Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 89 Número 6




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Leishmaniose tegumentar americana - um caso de desafio terapêutico*

American tegumentary leishmaniasis - a case of therapeutic challenge*


Daíne Vargas Couto1; Gunter Hans Filho1; Marcelo Zanolli Medeiros1; Carolina Faria Santos Vicari1,2; Aline Blanco Barbosa2; Luiz Carlos Takita1

1. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) - Campo Grande (MS), Brasil
2. Hospital São Julião - Campo Grande (MS), Brasil

Recebido em 20.08.2013.
Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 16.10.2013.
Suporte Financeiro: Nenhum
Conflito de Interesses: Nenhum
Como citar este artigo: Couto DV, Hans-Filho G, Medeiros MZ, Vicari CFS, Barbosa AB, Takita LC. Leishmaniose tegumentar americana - um caso de desafio terapêutico. An Bras Dermatol. 2014;89(6):978-80.

Correspondência:

Daíne Vargas Couto
Av. Senador Filinto Muller, 355 - Vila Ipiranga
79080190 - Campo Grande - MS Brasil
E-mail: dainevargas@yahoo.com.br

 

Resumo

A leishmaniose tegumentar americana é uma doença infecciosa crônica, não contagiosa, que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. O tratamento oportuno e adequado é de grande importância para prevenir a evolução da doença para formas destrutivas e graves. O tratamento para a leishmaniose tegumentar americana preconizado pelo Ministério da Saúde é único para todo o país, independentemente da espécie de Leishmania. Sabese que a resposta ao tratamento pode variar de acordo com a cepa do parasito, o estado imunológico do paciente e a forma clínica. Relatamos o caso de uma paciente hígida procedente de Manaus (AM) que apresentou resistência ao tratamento com N-metilglutamina e anfotericina B lipossomal, só obtendo cura após uso de pentamidina.

Palavras-chave: Dermatopatias parasitárias; Leishmania guyanensis; Leishmaniose cutânea; Pentamidina

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações