Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 81 Número 6




Voltar ao sumário

 

Síndrome em Questão

Você conhece esta síndrome?

Do you know this syndrome?


ROBERTA SORIANO DE CERQUEIRA1, ALESSANDRA RIBEIRO ROMITI2, WALTER BELDA JUNIOR3, ZILDA NAJJAR PRADO DE OLIVEIRA4, MARIA CECÍLIA DA MATA RIVITTI MACHADO4, RICARDO ROMITI3

1Médica da Universidade Federal de Alagoas – Ufal - Alagoas (AL), Brasil
2Ex-residente do Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo - São Paulo (SP), Brasil.
3Professor Assistente, Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo - São Paulo (SP), Brasil.
4Professora Assistente, Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo - São Paulo (SP), Brasil.

Recebido em 20.11.2006. Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 29.11.2006. Trabalho realizado no Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) – São Paulo (SP), Brasil. Conflito de interesse declarado: Nenhum. _Como citar este artigo:_ Cerqueira RS, Romiti AR, Belda Jr W, Oliveira ZNP, Machado MCR, Romiti R. Você conhece esta síndrome? Síndrome Leopard. An Bras Dermatol. 2006;81(6):599-601.

Correspondência:
Ricardo Romiti Rua Dr. Neto de Araújo, 320 cj. 1004 CEP: 04111 001 São Paulo SP Tel: 011-55492211 E-mail: rromiti@hotmail.com

 

Resumo

A síndrome Leopard é distúrbio autossômico dominante de forte penetrância e expressividade variável. O epônimo Leopard foi criado em 1969 como regra mnemônica, ressaltando as características mais marcantes da síndrome: lentiginose, distúrbios de condução no ECG, hipertelorismo ocular, estenose pulmonar, anormalidade genital, retardo do crescimento e déficit auditivo sensorial. Relata-se o caso de uma menina de 15 anos com características da síndrome Leopard e discutem-se suas principais manifestações clínicas e genéticas.

Palavras-chave: GENITÁLIA/ANORMALIDADES, ESOTROPIA, ESTENOSE DA VALVA PULMONAR, GENITÁLIA, LENTIGO, PERDA AUDITIVA, SÍNDROME LEOPARD

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações